Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Eleições 2018

Pesquisa Doxa para presidente no Pará aponta Bolsonaro na dianteira

Tanto na estimulada quanto na espontânea, o polêmico candidato está em primeiro lugar seguido de Haddad e Ciro. No entanto, Bolsonaro também detém o maior índice de rejeição entre todos os candidatos

A Doxa Pesquisa divulgou nesta quarta-feira (19) pesquisa realizada no Pará com intenções de voto para presidente da República.

Estimulada

Na consulta estimulada Jair Bolsonaro sai na frente,com 26,6% dos votos. Depois vêm: Fernando Haddad 19,4%, Ciro Gomes 11,7%, Geraldo Alckmin 7,8%, Marina Silva 6,7%, Henrique Meirelles 3,5%, Álvaro Dias 2%, Cabo Daciolo 1,7%, Guilherme Boulos 1,6%, João Amoedo 1,1%, João Goulart Filho 0,6%, José Maria Eymael 04,% Vera Lúcia 0,4%. Brancos e nulos 10,2% e não sabem ou não responderam 6,3%. Na pesquisa estimulada o entrevistador apresenta uma lista de nomes ao eleitor ao perguntar em que ele votaria.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, onde o entrevistado não dispõe da lista de candidatos, Bolsona também sai na frente, com 22,8% da preferência do eleitor. Depois dele vêm: Lula 13,1%, Ciro 7,1%, Haddad 5,3%, Alckmin 5,2%, Marina 5,1%, Meirelles 1,7%, Álvaro Dias 1,2%, Daciolo 0,4%, Boulos 0,2%, Amoedo 0,2% e Vera 0,2%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos 11,6%, não sabem ou não responderam 26%.

Rejeição

A pesquisa Doxa também mediu a rejeição aos candidatos. Perguntou em quem o eleitor não votaria para presidente? Nesse quesito Bolsonaro também tem o maior índice, 25,4%. Seguido de: Haddad 14,1%, Marina 7,9%, Alckmin 6,4%, Meirelles 5,4%, Boulos 4,5%, Álvaro 4,5%, Ciro 4,3%, Amoedo 2,9%, Daciolo 2,6%, Vera 2,5%, João Goulart Filho 2,5% e Eymael 2,4%. Não rejeita nenhum 3,9% e não sabe ou não respondeu 10,5%.

Veja também:  Pará: Márcio Miranda (DEM) vira em cima de Helder Barbalho (MDB), aponta pesquisa Doxa

Influência da agressão

O Doxa procurou saber ainda se a agressão a faca, que vitimou o candidato Jair Bolsonaro, no último dia 6, influenciou na preferência pelo nome dele, 36,8% disseram que não vai mudar em nada, 23,6% opinaram que, se Bolsonaro se colocar como vítima, a preferência por ele vai aumentar, 13,8% acreditam que ele vai perder votos, 20,2% se mostraram indiferentes à questão e 5,6% não sabem ou não responderam.

Operação Lava Jato

Os entrevistadores também perguntaram: “Na hora de votar em algum candidato para presidente, você votaria em alguém que foi citado na operação Lava Jato? 50,4% responderam que não votariam de jeito algum, 35,6% responderam que poderiam votar, 6,9% disseram que poderiam votar e 7,1% não sabem ou não responderam.

Dados

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob o protocolo PA-05803/2018. A margem de erro estimada é de 2,25% para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A pesquisa foi contratada pela Gravasom/Jornal a Província do Pará, ocorreu de 12 a 15 de setembro em todas as mesorregiões do Estado e ouviu 1.896 eleitores.

Deixe uma resposta