Paysandu Sport Club retornou aos treinos presenciais no Estádio da Curuzu, em Belém

Um atleta do Papão testou positivo para Covid-19 e está em isolamento domiciliar
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O elenco do Paysandu Sport Club retornou aos treinos presenciais nesta segunda-feira (29/06), no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. Os jogadores do Papão treinaram separados e por grupos para evitar aglomerações no gramado do Vovô da Cidade. Na testagem para Covid-19, de 70 profissionais incluindo atletas, comissão técnica, diretoria e funcionários, apenas um jogador deu resultado positivo e está em isolamento domiciliar. O nome não será divulgado pela diretoria bicolor.

O restante do grupo que deu negativo, iniciou os trabalhos com segurança no gramado da Curuzu, seguindo todos os protocolos estabelecidos pelos órgãos de saúde. Os jogadores retornaram a rotina de treinos, após três meses longe da movimentação coletiva dentro do estádio. A última partida do Paysandu diante do Castanhal, foi realizada no dia 15 de março, na Curuzu, em Belém, válida pela 8ª rodada da 1ª fase do Parazão. O retorno foi comemorado pelos atletas

“Não via a hora de voltar. Foram mais de 100 dias da paralisação. A gente sabe que ainda tem muitas famílias sofrendo com isso, mas a gente precisava voltar, necessitava voltar a trabalhar. Estava com saudade da Curuzu, saudade do ambiente, e a felicidade é grande de poder voltar para se preparar e atingir os nossos objetivos esse ano”, afirmou Serginho, volante do Paysandu Sport Club.

A programação de treinos na Curuzu foi estabelecida com cinco horários diferentes e grupos separados, obedecendo a distância. Os jogadores do Papão estão se adaptando ao chamado “Novo Normal”, tendo que tomar os cuidados necessários dentro do ambiente de trabalho, como a higienização, com o álcool em gel espalhados pelo estádio bicolor e o uso constante de máscara para se prevenir e proteger do vírus.

“Uma coisa que ninguém imaginou. Tem até bastante meme na internet que fala “No início de 2020, eu jamais imaginei que estaria dando banho em um pacote de café”, é que temos que está lavando tudo. Então, é uma coisa muito séria, muito triste que aconteceu com muita gente, mas como eu disse, não tem como imaginar que a gente tinha que administrar toda essa situação da melhor forma possível, é a realidade de cada um”, disse Micael, zagueiro e capitão do Paysandu.

O calendário do futebol brasileiro segue indefinido, sem datas concretas para os campeonatos serem realizados nesta temporada, apenas algumas previsões. O retorno das atividades dentro do Paysandu está visa três possíveis competições, como a sequência do Campeonato Paraense de 2020, tendo o Papão como líder com 19 pontos, dois a mais que o rival Clube do Remo, o Campeonato Brasileiro da Série C, prioridade para os bicolores, e a Copa Verde. Se caso as competições acontecerem, o que é provável, serão jogos atrás de jogos e com poucos intervalos, tendo partidas de dois em dois dias.

“É quase impossível para o atleta está mantendo o mesmo ritmo, está mantendo a mesma pegada de dois em dois dias, é muito difícil. A gente sabe que de três em três dias, tu já tem um desgaste absurdo no final do mês. De dois em dois dias, eu acredito que é impossível. Se isso acontecer, mais do que nunca, é aquilo que a gente sempre fala, tem que ter força de plantel, e nosso plantel é bom. Todos que estão no banco, todos que estão no titular, tem condições. Na verdade, não tem banco e titular, existe um time completo, então mais do que nunca a gente tem que está preparado e contando com todos os atletas”, finalizou Micael.

Por Fábio Relvas / Foto: Jorge Luiz

Publicidade