Parauapebas tem as melhores oportunidades educacionais do Pará, diz pesquisa

Apesar do Ideb estagnado, investimentos nos profissionais da educação, detentores de um dos maiores contracheques entre as cidades brasileiras, ajudaram município a deslanchar seu Ioeb
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Um levantamento realizado pela conceituada Comunidade Educativa (Cedac), especialista em apoio, formação e desenvolvimento de profissionais da educação pública brasileira, acaba de revelar que a educação do município de Parauapebas é a número 1 no Pará em se tratando da garantia de oportunidades para o sucesso educacional de crianças, adolescentes, jovens e adultos. A Capital do Minério tem, atualmente, 62 mil estudantes de escola pública — da educação infantil ao ensino médio — na educação básica.

A informação foi levantada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que se debruçou sobre os microdados do Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (Ioeb) 2021, o qual se baseia em diversos indicadores sob a batuta do Ministério da Educação (MEC), entre os quais o famoso Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), cuja última nota foi processada em 2019. O Ioeb é mais amplo e atual que o Ideb.

Parauapebas divide o pódio no Pará, com nota 5 (de uma escala que vai de 0 a 10), com os municípios de Vitória do Xingu, no coração do estado, e Benevides, na região metropolitana. Eles também tiraram 5. Em comum, além da nota, os três conseguiram obter Ioeb otimizado, uma vez que desde 2015 o índice de oportunidades segue, muito ou pouco, em ritmo crescente. Além disso, os três são os únicos lugares do Pará a alcançar a média nacional.

Apesar da estagnação do Ideb de Parauapebas até 2019, um dos principais pilares de sustentação do crescimento do Ioeb local é a forma como a gestão municipal investe na rede. Para além das notas dos alunos, como é considerado no Ideb, o Ioeb é mais sensível ao captar aspectos como os investimentos feitos nos educadores. Em Parauapebas, praticamente todos os professores têm ensino superior completo e, quanto à remuneração, recebem um dos maiores salários médios do país para uma jornada de 150 horas semanais. Além disso, 80% dos professores da rede pública são efetivos.

De acordo com o secretário municipal de Educação, José Leal Nunes, o governo municipal não tem medido esforços para investir nos alunos e nos profissionais de ensino. Ele lembra que, após uma proposição da vereadora Eliene Soares que se tornou projeto de lei do Executivo, foi possível destinar recursos para que os professores da rede pública municipal adquirissem computadores portáteis para utilizar nas aulas, que seguem sendo parcialmente remotas.

“Criamos ainda mais oportunidades no período da pandemia. Sob pressão e com as escolas fechadas devido ao risco de contágio de covid, nós nos reinventamos e não deixamos nenhum aluno sem aula. Essas ações serão percebidas lá na frente, na divulgação do Ioeb de 2023. Todo o esforço que fizemos ao longo deste ano, principalmente com atenção ao retorno gradativo às aulas presenciais, respeitando todos os protocolos de biossegurança, tem valido à pena”, comemora o secretário.

Perseguir educação de alto nível

A vereadora Eliene Soares, representante da Comissão de Educação na Câmara de Parauapebas, celebra o resultado do Ioeb e observa ser preciso intensificar os investimentos para proporcionar ensino e aprendizagem à altura dos municípios cearenses. Os municípios de Sobral e Cruz, ambos no Ceará, tiveram as notas mais altas do Brasil no índice de oportunidades: ambos cravaram 6,7. Sucesso em educação pública, o estado nordestino teve impressionantes 18 municípios dos 20 com maior Ioeb em 2021.

Maior propositora na Câmara de iniciativas e projetos voltados à manutenção e ao desenvolvimento do ensino, Eliene já mandou ao Executivo planos de construção de escolas e implantação de ensino integral; indicações dedicadas à orientação vocacional de estudantes do último ano do ensino fundamental; projeto para horta escolar, para a saúde mental e o bem-estar dos profissionais de educação; pactuação para garantir merenda aos estudantes do ensino médio; construção de espaço tecnológico para uso dos estudantes; programa de distribuição de notebooks aos educadores, entre outros.

“Tenho me esforçado para guiar o governo municipal a executar medidas que possam trazer qualidade a nossa educação”, destaca a vereadora, que é professora concursada. “Mais que alcançar bons indicadores, precisamos que nossos alunos saiam da escola com aprendizagem de alto nível, críticos, habilidosos e competentes para os desafios do mundo moderno, cada vez mais informatizado e tecnológico”, completa.