Parauapebas realiza I Mostra de Turismo e Negócios

O evento, que reuniu mais de 30 empresas, é uma vitrine para empreendimentos locais ligados ao turismo e deve integrar o calendário oficial de eventos do município
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
I Mostra de Turismo e Negócios de Parauapebas até debate potencial turístico do município

Continua depois da publicidade

Parauapebas está realizando a primeira edição da sua Mostra de Turismo e Negócios, visando divulgar os atrativos turísticos da Capital do Minério e colocá-la no roteiro de turismo do estado, visando estimular o crescimento do setor e gerar emprego e renda para a comunidade local. A programação segue até este domingo (3), na Praça de Eventos, a partir das 19h.

A mostra conta com a participação de mais de 30 empresas de hotelaria, culinária, agências de viagens, clubes e balneários. Segundo o secretário municipal de Turismo, Rodrigo Mota, o objetivo principal é reunir o trade turístico para debater as ações para impulsionar o setor.

A Secretaria Municipal de Turismo (Semtur) fechou parceria com o Banco da Amazônia (Basa) e o Sebrae para realizar atendimento exclusivo aos empresários do ramo turístico durante o evento. “Trouxemos para o nosso evento o banco, para que os empresários possam tirar dúvidas sobre investimentos, como podem fazer para ampliar seu estabelecimento e o Sebrae, para ajudar na formalização dos seus negócios,” frisa o secretário.

A gerente regional do Sebrae/Região Carajás, Ana Suzi Rego, explica que o órgão está fazendo orientações e encaminhamentos, inclusive para consultorias. “As pessoas já estão entendendo que Parauapebas é uma cidade com potencial turístico grande e esse evento é importante para sensibilizar tanto a população quanto os negócios do trade turístico,” ressalta.

Os empresários que participam do evento acreditam no fortalecimento do segmento e estão aproveitando para fazer networking e divulgar seus empreendimentos. “É um incentivo muito grande pra nós. Nossa cidade tem um potencial enorme para o turismo, mas nós precisamos acreditar nisso e apostar que isso aqui é uma sementinha que a gente está plantando e que a gente vai colher lá no futuro,” destaca Nilane Cardoso, que administra um balneário bastante frequentado em Parauapebas.

Para Jorge Porto, proprietário do City Park Açaí Tênis Clube, o evento é um divisor de águas, representando o início de um projeto grandioso para o setor turístico local. “Vai trazer abertura para vários negócios dentro da nossa cidade, dentro das nossas atividades, que são o lazer e o entretenimento. Acredito que vai gerar bastante frutos,” projeta.

Regionalização

Integrando as ações de capacitação da I Mostra de Turismo e Negócios, a Semtur também realizou, nos dias 28 e 29 de setembro, uma oficina do Programa de Regionalização do Turismo para representantes de municípios da Regional Turística de Carajás. De acordo com Esnandes Silva, turismólogo da  Semtur, a regionalização do turismo é uma diretriz do Ministério do Turismo (MTur) e serve para contemplar e unir mais os destinos. 

“Por exemplo, o turista que vem a Parauapebas pode visitar atrativos de municípios próximos, com a integração de roteiro, gerando benefícios para todos. Por isso, incluímos essa oficina em nossa programação,” enfatiza.

O evento contou também com representantes de Marabá, Eldorado do Carajás, Bom Jesus do Tocantins e São Geraldo. “A base do nosso turismo é o de negócios, assim como o de Parauapebas. Isso gera uma interação muito forte entre os dois municípios, mas é preciso a região entender sua identidade e encontrar dinâmicas próprias de regionalização,” pontua Ricardo Pugliese, secretário de Turismo de Marabá e presidente da Regional Turística de Carajás.

Durante a oficina, os participantes entenderam os critérios para entrar no remapeamento do MTur para o biênio 2021/2023 – entre eles, a necessidade de estruturação de um Plano Municipal de Turismo e a implantação de um conselho municipal com representantes do poder público e da iniciativa privada. De acordo com Reginaldo Paiva, técnico em Gestão Pública da Setur, um dos objetivos do programa de regionalização é ajudar os municípios a integrarem o mapa brasileiro do turismo.

Ele explica que, para participar do programa, o município precisa atender alguns requisitos. “Fazendo parte do mapa, ele tem mais chances de captação de recursos, seja do governo do estadual e, principalmente, do federal,” resume.

Segundo o técnico, o Ministério do Turismo atribui notas para os municípios, e Parauapebas está muito bem classificada, como um dos poucos paraenses com nota B. “O município tem uma gestão do turismo bastante profissionalizada. Isso é interessante não somente para Parauapebas e região de Carajás, mas para todo o estado,” destaca.

Tina DeBord