Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Parauapebas inicia Semana de Trânsito com blitz educativa

Devido a trabalho educativo, de fiscalização e de engenharia, o número de acidentes já diminuiu este ano quase 23% em relação ao ano passado
Continua depois da publicidade

A Prefeitura de Parauapebas, por meio do DMTT (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte), deu nesta quarta-feira (19), o pontapé inicial da Semana Nacional de Trânsito. E as ações começaram com uma Blitz Educativa em frente ao Quartel do 4º Batalhão de Polícia Militar, onde o agente Milton Lima, coordenador do Núcleo de Educação para o Trânsito comandava panfletagem e contato com os condutores que passavam pelo local.

Ouvido pelo Blog, ele disse que a missão maior do DMTT é conscientizar e educar os condutores, sejam pilotos de moto ou motoristas e o próprio pedestre, para que respeitem as leis de trânsito e também passem essas informações para a família e para os amigos, “para que não aumentem as estatísticas de acidentes e vidas sejam preservadas”.

Milton conta que, em levantamento de janeiro a de agosto deste ano, comparado com o mesmo período de2017, ficou constatado que houve uma diminuição de quase 23% no número de acidentes de trânsito nas vias de Parauapebas.

“Precisamos diminuir mais ainda, nossa vontade é de que não haja acidentes. O nosso trabalho está tendo resultados, não só o trabalho da Educação para o Trânsito, mas também o da própria fiscalização, das blitze punitivas, dos radares e da Engenharia de Tráfego, que agora está revitalizando a sinalização horizontal, pintando as faixas que já estavam meio apagadas, para que tudo fique visível e com o objetivo de diminuir o número de acidentes”, afirmou ele, lembrando que os três pilares – fiscalização, engenharia e educação – estão sempre trabalhando em conjunto.

Acerca da instalação de radares de trânsito nas vias de Parauapebas e agora também naquelas que levam à Zona Rural, Milton Lima explica quem, por meio da Engenharia, frequentemente são realizados estudos que detectam em que trechos há mais probabilidade de acidentes motivados pelo excesso de velocidade.

Veja também:  Departamento de trânsito investigado por liberação irregular de veículos

“Às vezes, as pessoas só aprendem com a punição. Vendo o radar elas são obrigadas a diminuir a velocidade para não serem multadas e, agindo dessa forma, estão também evitando um acidente e essa é a nossa meta. Nosso objetivo nunca foi instalar radar ou fazer qualquer outro tipo de fiscalização para arrecadar com multas. A nossa missão é mesmo diminuir o número de acidentes”, explica Lima.

Sobre o número de infrações de trânsito registradas pelo DMTT, ele diz que essas infrações são constantes, principalmente as detectadas pelos radares. “Os condutores sempre argumentam que não o radar não está funcionando corretamente, que estavam dirigindo certo. Mas, as pessoas precisam se conscientizar cada vez mais”, argumenta Milton Lima.

Segundo ele, o DMTT também faz um trabalho educativo com crianças e adolescentes, em escolas e igrejas, entre outros locais onde esse público esteja presente. “São eles que, mais na frente, vão dirigir, pilotar. Então, essa consciência tem de começar desde pequeno e tentar mudar esse pensamento dos adultos, principalmente dos infratores”, comenta Milton.

A motorista Maria de Fátima Fonseca Ferreira diz que esse trabalho de conscientização é ótimo porque reforça a informação sobre tudo aquilo que o condutor deve fazer. “O motorista bem informado não dá trabalho para o DMTT, não dá trabalho na cidade, não causa problemas. Já dirijo há 25 anos e, graças a Deus, nunca tive um acidente porque eu sou cuidadosa”, afirma ela.

Deixe uma resposta