Pará terá versão estadual de pesquisa domiciliar para cobrir os 144 municípios

Pead prevê ir a campo para mensurar taxas de crianças fora da escola, pobreza, desemprego, acesso a bens de consumo, entre outras. Iniciativa vai munir gestores com ótimos indicadores.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Cansada de se alimentar de dados a conta gotas da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa), braço técnico-científico do Governo do Estado, teve uma ideia excelente: fazer uma pesquisa amostral domiciliar, com proposta ousada e até mais abrangente que a do órgão federal.

Para tanto, a Fundação abriu recentemente chamada pública com vistas a contratar uma entidade para executar, na forma de apoio à pesquisa, os serviços de coleta, análise e divulgação de dados com a finalidade de subsidiar a construção do que chama de Pesquisa Estadual por Amostra de Domicílios (Pead), sob a batuta de sua Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural (DIEPSAC).

A medida deve ser celebrada porque, sem dúvida, vai contribuir para instrumentalizar e direcionar políticas públicas a serem promovidas pelo Executivo estadual, com informações municipais relativas à estrutura domiciliar dos paraenses que possibilitem a elaboração de estudos analíticos de caráter socioeconômico e apontem condições econômicas, vulnerabilidade social e deficiência das cidades paraenses, assim como potencialidades de cada uma delas.

A pesquisa do IBGE seguirá sendo feita e seus dados, em nível de Brasil, continuarão sendo oficiais. Porém, a Pnad do instituto não desce em nível de município, à exceção de capitais. Dados para municípios totais só há nos recenseamentos demográficos. Por essa razão, a visão geral dos municípios paraenses sobre si mesmos, fora de ano censitário, baseia-se apenas em fontes externas dispersas e informações locais, estas as quais muitas vezes distorcidas e sem valor estatístico para comparação com outras realidades.

A Fapespa, por seu turno, pretende fazer a Pead indo a campo em todos os 144 municípios paraenses, o que é excelente, principalmente por conta do atraso do censo demográfico do IBGE, que impõe a todos os municípios brasileiros “realidades” com indicadores defasados e contestáveis.

O Pará, por sinal, é campeão em número de localidades com dados populacionais “estranhos” nas estimativas anuais do IBGE, como Canaã dos Carajás, Parauapebas, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio e Altamira, cujos indicadores estão subestimados. Em São Félix do Xingu, ao contrário, há, na realidade, menos gente do que o que hoje diz o IBGE. Enquanto isso, Jacareacanga teve de “botar no pau” os números populacionais do IBGE— isto é, acionou a justiça — para não permitir ser prejudicado com número de habitantes cerca de seis vezes abaixo do que o que considera ser justo. A ausência de estatísticas confiáveis gera insegurança jurídica e vai parar nos tribunais.

Coleta, relatórios e anuário

Hoje, segundo a Fapespa, não existe base de informações municipais, nos moldes da Pnad do IBGE, com dados anuais que permitam a consolidações de produções técnicas de cunho analítico sobre a realidade municipal que verse, por exemplo, sobre taxa de pobreza municipal, taxa de desemprego municipal, proporção de domicílios com energia elétrica, computador e internet, área de moradia (favela, invasão, aglomerado subnormal, comunidade, e etc), renda familiar per capita, percentual de crianças fora de escola e creche, entre outros. Desse modo, o gestor tomador de decisões não dispõe das melhores informações quanto à escolha do modelo de política pública mais adequado à realidade local.

Mediante a contratação da entidade, a Fundação espera que os dados sejam coletados em um período de três meses, tornem-se relatórios analíticos, gerem revistas eletrônicas e um anuário, além de serem disponibilizados num site na internet a fim de que toda a sociedade tenha acesso e conheça o panorama de todos os municípios do estado, com informações fidedignas à atualidade.