Pará perde “três Suíças” em área de floresta em 18 anos, diz IBGE

Segundo instituto, em 2018 o estado computava 888 mil km2 de cobertura florestal. Já Inpe diz que em 2019 só restavam 860 mil km2 de florestas e São Félix do Xingu lidera desmatamento.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Segundo maior estado brasileiro em tamanho, o Pará perdeu em quase duas décadas um pedaço de chão de 118.302 quilômetros quadrados em vegetação florestal e campestre. É como se uma área equivalente a três países do tamanho da Suíça ou 112 cidades do tamanho de Belém tivessem sumido do mapa, virado pó ou pastagem. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que analisou o estudo “Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra por Estados de 2000 a 2018” divulgado nesta quarta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Pará é campeão isolado em perda de vegetação natural em 18 anos, de acordo com dados do levantamento. O IBGE diz que as mudanças de uso e cobertura da terra no estado têm características diferentes em distintos períodos: de 2000 a 2010 foi mais frequente a conversão de vegetação florestal para pastagem com manejo; e de 2010 a 2018 predominou o avanço de áreas de mosaicos florestais sobre a vegetação florestal.

Na contramão do desaparecimento da vegetação nativa, o IBGE constata a maior expansão da área de pastagem com manejo no país (83.400 quilômetros quadrados). Em 2018, o Pará apresentava a segunda maior área dessa classe de uso da terra entre os estados. A área agrícola saltou de 1.086 km², em 2000, para 9.158 km², em 2018.

Em 18 anos, a cobertura de vegetação florestal do território paraense despencou de 1,004 milhão de quilômetros quadrados para 888 mil quilômetros quadrados. Ainda há um verde do tamanho de países como Espanha e Alemanha juntos, mas a perda acumulada em quase duas décadas faz do Pará o estado onde a floresta amazônica vira pasto ou terra arrasada mais rapidamente.

O Blog buscou a mais recente atualização oficial de cobertura florestal do país, a partir de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e constatou que o Pará encerrou 2019 com 860,5 mil quilômetros quadrados de floresta. Dos dez municípios que mais perderam cobertura florestal na Amazônia, oito são paraenses, e São Félix do Xingu encabeça a lista, com 19.278 km2 de floresta “na chon”.