Natal iluminado de Marabá é um dos mais econômicos da região

Enquanto o prefeito Tião Miranda estima gastar R$ 533 mil, Jeová Andrade, de Canaã, deve desembolsar até R$ 753 mil para iluminar cidade cinco vezes menor. Envolvida em polêmica ano passado, prefeitura de Darci Lermen ainda não soltou sua licitação de decoração natalina.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Não espere chegar a Marabá em dezembro e encontrar uma cidade com decoração natalina espalhafatosa, para cuja empreitada foram torrados rios de dinheiro que vão virar artigos de depósito logo em janeiro. Não mesmo. O prefeito Tião Miranda, assumidamente econômico quando o assunto é dinheiro público, até autorizou uma licitação para contratar uma empresa que forneça, monte e instale a iluminação de Natal em diversos pontos do município. No entanto, o “ânimo” financeiro da Prefeitura de Marabá para o serviço é baixíssimo: R$ 532.962,18 (veja o processo licitatório aqui). E na concepção do governo local está de bom tamanho.

Na verdade, nos últimos três anos, o governo Tião Miranda subiu o tom de aplicação nas luzes de Natal. O Blog do Zé Dudu apurou nesta quinta-feira (21) que em 2017, no seu primeiro ano de gestão, o prefeito disponibilizou R$ 268.707,64 por meio de um pregão presencial. No ano passado, o valor final de uma tomada de preços realizada pela administração de Miranda para a decoração saiu por R$ 449.677,45. Agora, em nova tomada de preços, o valor disponível é cerca de R$ 80 mil superior ao serviço do ano passado — mas ainda não é o final, que deve ser menor após a conclusão do processo licitatório.

De acordo com o edital da licitação de 39 páginas organizado pela Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop), os quase R$ 533 mil da ornamentação estão distribuídos entre serviços de iluminação (R$ 381 mil) e material para montagem da Árvore de Natal (R$ 152 mil). A prefeitura justifica a contratação pelo intuito de promover beleza, harmonia e valorizar o espírito natalino, decorando ruas, avenidas e praças para ambientar o espaço urbano e causar contemplação nas famílias, entre outros aspectos.

Vale ressaltar que o Natal de Marabá vai ser bem mais barato que o da estribada cidade de Canaã dos Carajás, onde a prefeitura administrada por Jeová Andrade estima gastar R$ 753 mil, conforme reportou o Blog em primeira mão (relembre aqui). Em termos populacionais, a cidade de Marabá tem cinco vezes mais habitantes que Canaã.

Luze$ de Natal em outros municípios

O Blog do Zé Dudu detectou que desde outubro várias prefeituras correm para licitar a decoração natalina de 2019. Além de Marabá e Canaã, já citados, a Prefeitura de Redenção anunciou uma ornamentação de R$ 308.879,75 via pregação presencial. Igarapé-Açu deu início a um registro de preços de até R$ 127.787,50 para a mesma finalidade.

A Prefeitura de Mãe do Rio já licitou, por R$ 125 mil, seu presépio. E a administração de Paragominas abriu ontem (20) um processo licitatório, na modalidade pregão presencial, para usar até R$ 234.333,33 na ornamentação natalina. No próximo dia 3 serão conhecidas as propostas comerciais para os serviços na cidade considerada modelo de desenvolvimento sustentável no Pará.

A Prefeitura de Parauapebas, que sempre apresenta as decorações mais polêmicas e escalafobéticas, do ponto de vista financeiro, até o momento não se manifestou quanto a processo licitatório para ornamentar as artérias principais da sede urbana. Tradicionalmente, o governo da “Capital Nacional do Minério de Ferro” dá início às licitações do gênero entre os meses de setembro e novembro.

Não custa lembrar, entretanto, que a decoração de Natal de 2017, organizada pela Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb), foi orçada inicialmente em R$ 793.220,06, embora com valor final de R$ 705.000,00. Já a polêmica iluminação do ano passado, com custo inicial de R$ 1.285.139,24, finalizou em R$ 1.265.000,00 e deu até bafafá na Justiça, que mandou suspender a decoração em 11 de dezembro por suspeita de superfaturamento no serviço contratado.

Publicidade

Relacionados