Marabá: vereadora Irismar Melo lança suspeita sobre os processos seletivos da Prefeitura de Marabá

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – De Marabá

Na sessão desta terça-feira (28), da Câmara Municipal de Marabá, a vereadora Irismar Nascimento Melo (PR) questionou o Executivo Municipal a respeito dos processos seletivos que a prefeitura vem realizando, em várias secretarias, para a contratação de servidores em regime temporário.

Ela lembrou que um grupo de motoristas que dirigiram ônibus escolares da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em outros governos procurou o Ministério Público Estadual para denunciar que, embora acumulassem experiência de muitos anos nesse tipo de condução, foram preteridos, apesar de terem sido inscritos no processo seletivo.

Depois, se referiu à Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp), lembrando que determinada servidora, mesmo tendo dirigido um dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) por vários anos, não foi recontratada, apesar de sua larga experiência. “São muitos os questionamentos”, afirmou Irismar.

Em aparte, o vereador Marcelo Alves dos Santos (PT) disse que havia recebido informações de que na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) “muita gente” já havia sido contratada sem ter passado por qualquer processo seletivo.

Irismar voltou à carga e disse que não se tratava somente de suspeita. “Isso é verdadeiro, posso provar”, afirmou, questionando sobre o assunto o líder do governo, vereador Antônio Márcio Gonçalves (PSDB) – o Márcio do São Félix, que se manteve calado.

O vereador Tiago Batista Koch, líder do PMDB, também se referiu ao assunto, citando como exemplo os processes seletivos do Governo do Estado, nos quais, quem já tem experiência na função desejada, entra com pontuação de vantagem.

Outro lado

Procurada pelo blog, a Prefeitura de Marabá, por meio de sua Ascom (Assessoria de Comunicação) enviou nota na qual diz que os processos seletivos de todas as secretarias seguem as normas a que foram submetidas e estão abertos ao público para quaisquer esclarecimentos. “Colocar em dúvida o processo sem amparo legal não se justifica, porque no próprio edital existe prazo de recursos e contestação que o próprio candidato tem o direito de fazer”, afirma a nota.

Vale lembrar – segue o comunicado – que processo da Semed contou com mais de 11 mil candidatos, o processo seletivo da SDU com mais de 1.900 candidatos e o da Seasp com mais de 3 mil candidatos, “todos com ciência completa do edital por parte do candidato e com pouquíssimos recursos impetrados e devidamente analisados”.

“Quanto à qualificação de cada candidato, a comissão analisou caso a caso, não constando nenhum tipo de anormalidade. Quem foi contratado tem aptidão para o cargo. Quanto ao questionamento da SMS, a assessoria informa que todos os dados sobre contratação emergencial estão à disposição dos vereadores e principalmente da população na secretaria para os devidos esclarecimentos”, finaliza.

Publicidade

Relacionados