Marabá terá 1ª Festa Literária de 21 a 29 próximos no Centro de Convenções

Organizadores esperam a presença de 100 mil pessoas durante os nove dias do evento lítero-cultural, cujo anúncio oficial foi feito na manhã desta quinta-feira
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Setenta toneladas de livros, 25 mil títulos, 100 editoras, 28 estandes, mais de 200 empregos temporários e um público de 100 mil pessoas. É o que promete a 1ª Festa Literária de Marabá, de 21 a 29 próximos, no Carajás Centro de Convenções “Leonildo Borges Rocha”. O anúncio oficial ocorreu na manhã desta quinta-feira (19), durante entrevista coletiva com os organizadores do evento lítero-cultural: Secretaria de Municipal de Cultura (Secult), Secretaria Municipal de Educação (Secult) e Associação Nacional de Livrarias (ANL).

A Festa Literária é uma extensão da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, que aconteceu de 24 de agosto a 1º de setembro em Belém e terá a presença de 28 empresas do mercado editorial nacional, expondo no mesmo número de estandes, 20 do Pará e oito de outros Estados. A exemplo do evento da capital, homenageará os escritores Zélia Amador e João de Jesus Paes Loureiro. 

O secretário de Cultura de Marabá, José dos Santos Scherer, explicou que a 1ª Festa Literária de Marabá é uma realização da Secretaria de Estado de Cultura e da Prefeitura de Marabá, por meio da Secult e da Semed. E, além da venda de livros, afirmou ele, haverá uma grande gama de apresentações culturais.

“Nossos artistas terão oportunidade de se apresentar, assim como os alunos da rede municipal e da rede e das universidades. O espaço está aberto e será um grande evento no Centro de Convenções, que estará aberto a partir das 10h, do dia 21, para a população de Marabá e região, embora a abertura oficial esteja marcada para as 19h”, disse Scherer na abertura da coletiva.

A professora Marilza Leite, secretária de Educação de Marabá, destacou que mais uma vez o governo municipal, assim como no ano passado, vai beneficiar 1.832 professores com o Credi-Livro, que oferecerá um bônus de R$ 150,00 a cada um dos educadores, para a compra de livros. No total, serão liberados R$ 274.800,00.

“Os professores da rede poderão adquirir o livro, tanto com o cartão da conta do Banpará, quanto pelo cartão específico do Credi- Livro, que, em 2018 beneficiou 1.873 professores com o investimento, R$ 280.950,00”, informou ela.

Marilza Leite anunciou a participação de 2 mil alunos de 54 escolas municipais da cidade e da zona rural, nas atividades culturais e disse esperar que todos prestigiem e participem da feira de livros, que vem se consolidando ano a ano. “Marabá só tem a ganhar”, salientou.

Genival Crescêncio de Souza, da Secretaria Municipal de Cultura, falou da necessidade de inclusão de pessoas deficientes no evento, tanto como visitantes quanto como participantes das atrações culturais.

Para isso, articulou parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e com o Centro Especializado da Pessoa com Deficiência Auditiva, que terão apoio de estagiários da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) e da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Crescêncio anunciou ainda a presença de um escritor indígena e de indígenas de quatro etnias. “Nossa intenção é transformar a 1ª Festa Literária em um grande evento cultural regional”, entusiasmou-se ele, anunciando que, ainda na manhã do dia 21, sábado, haverá uma Pré-Conferência de Cultura, cujo objetivo é colaborar com a Secretaria de Cultura do Pará para o Plano Estadual de Cultura e para a criação da Lei do Sistema de Cultura do Estado do Pará.

Ainda segundo Genival, os escritores marabaense Airton de Souza e Eliane Soares, premiados em diversos certames culturais no Pará e Brasil afora, também serão homenageados na 1ª Festa Literária de Marabá.

Até o momento, também de acordo com Genival Crescêncio, sete Academias de Letras da região já confirmaram presença no evento, que trará a Marabá, ainda, 23 escritores regionais. Durante a feira, 10 livros serão lançados.

Paulo Roberto Silva, representante da Associação Nacional das Livrarias, vencedor do chamamento público do Estado para a 23ª Feira Pan Amazônica do Livro e que representa o mercado editorial, disse que a previsão é que a 1ª Festa Literária de Marabá movimente entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão em negócios. “É uma iniciativa louvável da Prefeitura de Marabá”, afirmou ele, que recentemente, além, da 23ª Feira Pan-Amazônica, esteve atuando na Bienal do Ceará e, mais recentemente em Parauapebas. De Marabá ele segue para eventos semelhantes em Bragança, Santarém e Imperatriz (MA).

Por Eleuterio Gomes – de Marabá

Publicidade