Marabá: Onze gramas que renderam mais de quatro anos de cadeia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A juíza Renata Guerreiro Milhomem de Souza, da 1ª Vara Criminal de Marabá, condenou, no último dia 16, Ueliton Alves Martins a 4 anos e 2 meses de prisão e 417 dias-multa, pelo crime de tráfico de entorpecentes. Ele foi flagrado no dia 17 de outubro do ano passado, no Terminal Rodoviário da Folha 32, comercializando cocaína. A polícia chegou a Ueliton após uma ligação ao Disque-Denúncia.

Era por volta das 15h quando uma equipe da Polícia Militar se dirigiu à Rodoviária e presenciou o acusado chegar ao local em uma motocicleta Fan, cor vermelha, placa NSX-3353, oportunidade em que foi abordado por outro indivíduo para quem entregou algo.

Diante da situação, os PMs abordaram Ueliton de Souza, encontrando com ele dois papelotes da droga, R$ 80,00 e uma nota falsa de R$ 50,00. Em seguida, os policiais se dirigiram à casa dele, onde encontraram outra porção de cocaína, totalizando 11,36 gramas,  e uma balança de precisão.

No aparelho celular do acusado foram encontradas mensagens codificadas que indicam uma encomenda: “Tem leite?”; “Depois das duas quero 100 litros”, em referência à cor do entorpecente.

Interrogado, o acusado negou ser traficante, afirmando que a droga encontrada era para consumo próprio. Disse ainda não passou qualquer material para outro indivíduo.

Confirmou a existências das mensagens no seu celular, porém declarou que a referência ao “leite” se devia ao fato de trabalhar com comércio de alimentos. Questionado sobre quem teria lhe enviado a mensagem solicitando a entrega de 100 litros de leite, o acusado disse não se recordar. Porém, diante das provas materiais colhidas e dos depoimentos de duas testemunhas, a juíza enquadrou Ueliton Alves Martins nos Artigos 33 a 39 da Lei Antidrogas.