Marabá

Marabá: bebê de 465 gramas pede pra viver e precisa de UTI

Por Ulisses Pompeu – de Marabá Recém nascido é considerado um milagre, mas está em contagem regressiva contra a morte “Ele é um herói. Está pedindo para viver desde o …

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Recém nascido é considerado um milagre, mas está em contagem regressiva contra a morte

Bebê prematuro precisa de UTI. Hospital Regional diz que não há vaga“Ele é um herói. Está pedindo para viver desde o primeiro minuto”. É assim que a médica intensivista do Hospital Materno Infantil (HMI) Valéria AP Caselli Ferreira resume o esforço de um recém nascido do sexo masculino que nasceu prematuro na última quarta-feira, 8, pesando apenas 465 gramas e que precisa de uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) urgente para sobreviver.

Embora reconheça que o Hospital Regional seja sempre um parceiro para receber prematuros em situação de alto risco de vida, a médica Valéria observa que os leitos de UTI Neonatal no HR estão lotados.

A mãe, Aline Lima Rocha, de 22 anos, chegou à terceira gravidez em situação parecida com as duas anteriores, onde sofreu aborto espontâneo. Agora, aos cinco meses de gravidez, ela passou 12 dias internadas no Materno Infantil, onde foi submetida a uma cerclagem para tentar segurar o bebê por mais tempo possível no útero. Todavia, como estavam perdendo muito líquido, o parto precisou ser feito no dia 8.

Segundo a intensivista Valéria Caselli, a literatura orienta que em casos de parto na 23ª semana de gestação, não se deve tentar ressuscitar o bebê, que já nasce praticamente sem chances de viver. “Mas ele apertou meu dedo e chorou, como que pedindo para viver. Ele é um herói, um milagre”, diz, explicando que mesmo assim, casos como o dele dificilmente alcança 24 horas de vida.

As dimensões do bebê, ainda sem nome, impressionam. Além de pesar apenas 465 gramas, ele mede 29 centímetros, sendo 24 de centímetro cefálico e veio ao mundo através de parto normal.

Desde que nasceu, o bebê de Aline Lima foi encaminhado para a UCI (Unidade de Cuidados Intermediários), onde foi submetido a ventilação mecânica, fez uso de drogas vasoativas, mas está necessitando de cuidados intensivos, que apenas uma UTI neonatal pode oferecer.

A médica explica ainda que tudo que é possível fazer em uma UCI já foi feito, mas alerta que o bebê precisa de nutrição parenteral até o décimo dia de vida, no máximo, porque depois desse período ele morre. E essa nutrição só é possível oferecer em uma UTI, que não existe no HMI nem no HMM.

Com dor no coração, a médica Valéria Caselli apela às autoridades do Estado para que consigam urgentemente um leito de UTI para o bebê, seja na Santa Casa de Misericórdia, em Belém, ou em outra unidade com UTI. “A família tem pouca condição financeira e não consegue levar o recém nascido para um hospital particular em outro centro”, explica ela.

2 comentários em “Marabá: bebê de 465 gramas pede pra viver e precisa de UTI

  1. Guerreiro Responder

    “Simão Robinson de Oliveira Jatene, ou apenas “Robin”, para os íntimos, é o governador mais extraordinário, magnífico, espetacular, colossal, grandioso que o estado do Pará já conheceu!

    Robin é um governador de impressionante dinâmica: trabalha de sol a sol, de domingo a domingo, 367 dias por ano!

    É um governante amado, especialmente, nas regiões mais distantes deste estado, como é o caso do Baixo Amazonas e do Sul e Sudeste do Pará.

    Quando Robin desembarca na distante Marabá, por exemplo, os cidadãos organizam inesquecíveis recepções!

    Também é deveras impressionante a extraordinária criatividade do nosso governador!

    Na colônia agrícola Heleno Fragoso, por exemplo, ele implantou um revolucionário modelo de reinserção social dos detentos!

    Na Santa Casa de Misericórdia, em parceria com uma grande rede de cosméticos, vem implantando um impressionante modelo estatístico.

    Por todo o interior deste grandioso estado do Pará, Robin também levou dois extraordinários programas de combate à miséria: o Propaz e o Presença Viva.

    Quem é atendido por tais programas – imediatamente, como que num passe de mágica – deixa a linha da pobreza!

    Até por isso, já afirmam os da Plebe: Robin é melhor que a Megassena!

    Mas o nosso governador também é unanimidade: todos falam bem dele!

    Menos as línguas peçonhentas de plantão, que insistem em afirmar que essa unanimidade se deve às milionárias verbas de propaganda e assessorias especiais que ele distribui fartamente.

    Tudo, mentira, é claro! Pura inveja dessa gentalha militante e juramentada!

    Por tudo isso, a Perereca resolveu criar este novo e extraordinário blog: o Balcão de Negócio$. O veículo de comunicação mais honesto do Planeta!

    Aqui, você conhecerá toda essa extraordinária revolução que está sendo realizada no estado do Pará pelo nosso magnífico, estonteante, incomparável, formidável (faltam-me adjetivos) governador!”

    Postado no blog Balcão de Negócios, da jornalista Ana Célia Pinheiro.
    Ao que parece na Santa Casa, em Belém, a situação também é caótica, com superlotação, inaugurações prá mídia ver e desmonte no dia seguinte, morte de pelo menos 34 (trinta e quatro) bebês, o que motivou denúncia ao MPE, conforme divulgado no blog do deputado Bordalo. Apelar prá quem?????

  2. Josenildo Responder

    Os pais desta criança precisam urgentemente ingressar com um medida judicial com pedido liminar contra o Estado para obriga-lo a adotar as medidas necessarias “a continidade da vida.

Deixe seu comentário