Lockdown: Juiz dá 24 horas para que gestores prestem informações sobre a pandemia em Parauapebas

MP quer manutenção do bloqueio. Já CDL que abertura do comércio. Porém, juiz vai ouvir as partes para decidir
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O juiz Lauro Fontes Junior, optou pela cautela ao proferir decisão nos Autos de Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Pará em que solicita a manutenção do estado de Lockdown no município de Parauapebas (0802772-15.2020.8.14.0040).

Para tanto, o magistrado quer, em 24 horas, informações das peças-chaves da gestão em relação à pandemia, quais sejam, o prefeito Sr. Darci Lermen; o secretário de saúde, Sr. Gilberto R. Laranjeiras; a Associação Médica de Carajás; o Conselho Municipal de Saúde; o Coordenador e o integrante do Comitê Científico instituído pelo Decreto municipal n. 519/2020, Dr. Thiago Soares Fonseca e Dr. Sérgio Paulo Carneiro Júnior, respectivamente; o diretor da UPA, Sr. Felipe da Costa Silveira; e o diretor do Hospital Geral de Parauapebas.

Cada qual deverá prestar informações sobre as mudanças aplicadas para conter o avanço do novo coronavírus no município, assim como sobre o andamento da pandemia e logística para contê-la. Só depois das informações o magistrado irá decidir se mantêm o bloqueio total ou se, de alguma forma, libera o comércio.

É salutar lembrar que, desde o dia 23 de maio, o governador Helder Barbalho afrouxou as regras do lockdown nos treze municípios paraenses em que medida foi observada. Em Parauapebas, o prefeito Darci Lermen não se manifestou, ainda, sobre o decreto e a população está sem saber se o lockdown ainda vigora no município. Leia abaixo, na íntegra, a decisão do magistrado responsável pela Vara de Fazenda Pública e Execução Fiscal da Comarca de Parauapebas:

Publicidade