Marabá

Juízes querem helicóptero para ajudar na segurança das eleições em Marabá

Por Ulisses Pompeu – de Marabá Durante a reunião entre os dois juízes eleitorais de Marabá, nesta segunda-feira, dia 1º de outubro, ficou acertada a criação de um Escritório de …

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Durante a reunião entre os dois juízes eleitorais de Marabá, nesta segunda-feira, dia 1º de outubro, ficou acertada a criação de um Escritório de Gerenciamento de Crise, que funcionará como uma espécie de QG das Eleições 2012. Ele será formado por representantes da Segurança Pública, que no dia das eleições estarão recebendo as demandas, como solicitações de envio de forças para atuar em denúncias de crime eleitoral, por exemplo. A partir daí, o grupo tomará as providências para sanar esses problemas.

Em entrevista coletiva, juízes anunciaram implantação de escritório de gerenciamento de crise nas eleiçõesOs juízes vão solicitar até um helicóptero para acompanhar a eleição e garantir a segurança do pleito. A primeira opção será um pedido à Polícia Militar e, caso não der certo, os magistrados solicitarão a aeronave à mineradora Vale.

A reunião aconteceu na sala VIP do Fórum de Marabá, com a participação de representantes do Exército Brasileiro, Polícia Federal, Polícia Militar, Bombeiros, Guarda Municipal, agentes do DMTU, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil, mais a Celpa.

O Escritório de Gerenciamento de Crise funcionará no próprio Cartório Eleitoral e terá como coordenadores os dois juízes eleitorais, Eduardo Antônio Teixeira, titular da 100ª ZE, e Danielle Karen, da 23ª ZE. O referido escritório não estava previsto na legislação eleitoral e foi sugerido durante a reunião desta segunda-feira e aceito pelos órgãos envolvidos.

Em caso de prisão de eleitores ou mesmo de correligionários de candidatos flagrados em boca de urna, ficou definido que os envolvidos serão detidos e conduzidos para a Polícia Federal, onde será aberto um procedimento e, dependendo da situação, após o final da eleição poderão ser liberados e responderão em liberdade. No caso de Nova Ipixuna e Bom Jesus do Tocantins, que fazem parte da 23ª e 100ª ZE, respectivamente, os detidos serão levado para as delegacias de polícia dos dois municípios.

Já a partir de sábado, as ruas que ficam em volta do Cartório Eleitoral de Marabá terão o acesso restrito para facilitar o embarque e desembarque de urnas para as respectivas seções eleitorais.

Nem todos os órgãos enviaram representantes para a reunião com os juízes. É o caso da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil. “Mas ainda estamos esperando contar com essas duas forças nas eleições, porque a área a ser coberta é grande e eles são importantes. Teremos uma outra reunião amanhã (hoje, terça-feira) para detalhar alguns pontos e esperamos a presença de todos”, explicou o juiz Eduardo Antônio Teixeira, titular da 100ª Zona Eleitoral de Marabá.

Ainda segundo ele, na reunião que será realizada hoje, os representantes dos órgãos deverão responder como farão para atender as demandas que foram solicitadas pela Justiça Eleitoral.

Ficou definido que o Exército Brasileiro, através da 23ª Brigada, colocará à disposição da Justiça Eleitoral 200 homens; a Polícia Militar vai por nas ruas 84 homens; a Polícia Federal, mesmo em greve, vai dispor de 20 agentes e dois delegados; a Guarda Municipal contará com 75 agentes; o DMTU entrará com 40 agentes; já na zona rural, um destacamento da PM atuará em cada vila. A Celpa garantiu que algumas equipes estarão de plantão para atender casos de falta de energia em alguma localidade onde houver urna eleitoral funcionando.

No dia 4, portanto três dias antes das eleições, os juízes darão uma entrevista coletiva à Imprensa local para apresentar recomendações diversas à comunidade sobre o que pode e o que não pode fazer no dia das eleições, tanto para candidatos, eleitores e cabos eleitorais. “Precisamos esclarecer ás pessoas o tipo de manifestação que elas poderão ter no dia das eleições. Será uma entrevista educativa para a população”, explica.

Confira o efetivo de segurança que atuará nas eleições:

Exército: 200 homens
Polícia Militar – 84 homens
Polícia Federal – 20 agentes e 2 delegados
Guarda Municipal – 75 agentes
DMTU – 40 agentes
Na zona rural, um destacamento da PM atuará em cada vila.

2 comentários em “Juízes querem helicóptero para ajudar na segurança das eleições em Marabá

  1. Nome (obrigatório) Responder

    Agora eu pergunto Lucas, você é o que? americano, chinês, japonês, europeu. acho que você não sabe o que fala, acredito que você não é brasileiro, este país é muito bom. Nojento são os politiqueiros, procure ver a difernça entre políticos e politiqueiros.

  2. Lucas Responder

    Tudo isso não seria preciso se nesse país de indio o voto fosse democratico e não obrigatório. Oh terrinha nojenta esse brasilzinho…

Deixe seu comentário