Juiz de Canaã dos Carajás fala sobre abuso sexual e violência doméstica

Danilo Alves Fernandes deu palestra para jovens e adultos. O projeto, de iniciativa do magistrado, tem parceria com Agência Canaã
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Juiz de Direito da 1º Vara Cível de Canaã dos Carajás, Danilo Alves Fernandes, falou sobre o Abuso Sexual Infantil e Violência Doméstica (Lei Maria da Penha) para alunos de dois cursos realizados no município. A palestra, ocorrida na última sexta-feira (25), é uma iniciativa do Poder judiciário, em parceria com Agência Canaã.

Os temas foram apresentados primeiro para os quase 30 alunos do Curso de Cuidadores de Idosos, promovido por um hospital particular. Eles tiveram a oportunidade de obter informações e orientações quanto à prevenção de crimes de abuso sexual contra crianças e adolescentes e violência doméstica, além de conhecerem as medidas preventivas e protetivas previstas em lei e o papel dos órgãos de Segurança Pública, da Assistência Social, Ministério Público e Judiciário.

Durante o bate papo com o Dr. Danilo Fernandes, depois de estimulados, alguns alunos acabaram relatando que foram vítimas desses abusos. De acordo com a coordenadora da Agência Canaã, Graça Reis, foi um momento de emoção por parte do público que se identificou com o tema.

Essa mesma reação foi vista entre os alunos do Curso de Avicultura, realizado pela Associação dos Produtores Rurais do Eduardo Galeano. Mais de 20 pessoas participaram da palestra e também expuseram as situações de violência que vivenciaram. Boa parte do público que relatou ser vítima desses crimes era feminino – para elas foram ofertadas ajuda e acompanhamento psicossocial.

O projeto conduzido pelo Juiz Danilo Fernandes é destinado, principalmente, às comunidades carentes. “Essas comunidades muitas vezes desconhecem a quem recorrer para noticiar os fatos e apontar o abusador, bem como a quem se socorrerem visando obterem tratamento e acompanhamento psicológico. Por fim, objetiva prevenir e romper com esse quadro degradante que ainda assola silenciosamente nossa sociedade,” ressaltou o magistrado.

O magistrado enfatizou que a palestra foi realizada respeitando as medidas sanitárias de prevenção ao novo coronavírus, como distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos.

Por Dayse Gomes