Indústria do Pará tem março “sinistro” como efeito de pandemia

Blog havia antecipado números em abril, a partir dos indicadores de produção mineral, já que minério de ferro tem maior peso na atividade industrial do estado. Queda é a maior da história.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A palavra queda é pouco para definir o desempenho da atividade industrial paraense no mês de março, quando o estado despencou 12,8% em relação a fevereiro, mês mais curto do ano. O maior produtor de recursos minerais do Brasil apresentou retração sem precedentes, desde que a série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começou a ser feita, em 2002. O resultado ruim mais próximo disso foi apurado em março de 2004, quando a produção da indústria do Pará despencou 8,8%.

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, por meio das informações da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) Regional divulgada nesta quinta-feira (14) pelo IBGE. No Brasil, a queda da produção foi de 9,1% em março. O Pará apresentou o 4º pior resultado, sendo superado apenas pelas quedas registradas no Ceará (21,8%), Rio Grande do Sul (20,1%) e Santa Catarina (17,9%).

No comparativo entre março deste ano e março do ano passado, o estado registrou decréscimo de 2,4%. Já no acumulado de três meses, ou seja, de janeiro a março, a baixa foi sutil, de 0,8%. E em 12 meses corridos a derrocada marcou 1,3%. Assim, o Pará caiu em todas as quatro frentes de análise: de um mês para outro; no comparativo de mesmo mês entre um ano e outro; no acumulado do ano corrente; e no acumulado dos últimos 12 meses. É uma realidade muito diferente de março de 2018, quando o estado registrou crescimento épico de 13,2% frente ao mês anterior.

Difícil de esquecer

O IBGE lembra que “parte do mês de março foi afetada pelas medidas de enfrentamento à Covid-19 no país” e observa que, pela primeira vez na série histórica, todos os 15 locais pesquisados amargaram perdas. Além disso, o órgão de estatística recorda que a última grande disseminação negativa na indústria aconteceu em 2018, por conta da greve dos caminhoneiros, mas só o Pará escapou, registrando crescimento intenso, enquanto todos os demais estados foram à lona.

Puxado pela indústria extrativa mineral, o Pará tem nos minério de ferro, manganês, alumínio e cobre os principais produtos de sua gama na indústria. O resultado da produção divulgado pelo IBGE hoje está em linha com uma análise feita pelo Blog (relembre aqui) a partir do relatório de produção trimestral da mineradora multinacional Vale, empresa que tem maior peso na atividade industrial paraense. Nos primeiros três meses deste ano, a produção da Vale no Pará encolheu 7% em relação ao mesmo período do ano passado. E o pico da pandemia da Covid-19 deve assolar com força os indicadores dos meses de abril, maio e junho, tornando 2020 um ano célebre de perdas, em todos os sentidos

Publicidade