Hemopa atinge meta de doação de sangue em Parauapebas

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

 

Dois dias de mobilização de doadores de sangue movimentaram o Hospital Geral de Parauapebas na segunda ação neste ano do Hemocentro Regional de Marabá na cidade. Com o empenho de mais de 40 voluntários, a meta de coletar 350 bolsas de sangue foi atingida ainda no sábado (21).

Aline Amorim, coordenadora da Agência Transfusional e da Campanha estava muito contente com o resultado do fim de semana de muito trabalho. “Parauapebas sempre supera nossas expectativas e nesta ação não foi diferente. Coletamos 405 bolsas de sangue em um dia e meio de campanha. E essa conquista foi graças ao apoio do Instituto Mix, que promoveu uma ação social enquanto os candidatos aguardavam para fazer a doação, do voluntariado da Vale, Anjos da Débora e da Igreja Adventista”, divulgou o balanço.

Diego CarvalhoAmorim ainda afirmou a importância desta mobilização pelo menos duas vezes ao ano em Parauapebas por suprir o estoque crítico de doações. “São em média 150 transfusões de sangue por mês para abastecer a necessidade daqui, e com esse resultado vamos colaborar com o estoque de sangue de todo o Estado”, esclareceu a coordenadora.

o Blog encontrou Diego Carvalho, técnico mecânico e de refrigeração já saboreando o lanche, oferecido pela Hemopa após a doação de sangue e bem satisfeito em concretizar o gesto de solidariedade. “Minha mãe é agente de saúde e sempre nos incentivou a doar sangue para amenizar o sofrimento de quem depende e espera por ele. li no Blog sobre a campanha e me organizei para dedicar meu domingo para o bem, já que não consegui doar sangue no ano passado. Meu propósito é doar pelo menos uma vez por ano”, disse o técnico, que foi o antepenúltimo na doação de sangue deste domingo (22).

A última doadora de sangue foi recebida com muita festa pelos voluntários. Shirlene Freitas, autônoma, também celebrou muito a conquista, pois já tentou doar duas vezes e não conseguiu. Em uma ela foi até Marabá, mas tinha uma tatuagem recente que impossibilitou a doação. Na outra ação, em Parauapebas, ela estava trabalhando. “Cheguei às 9h30 e valeu a pena esperar. Saber que meu sangue pode salvar uma vida me deixa muito feliz”, comemorou Shirlene.

Quem não conseguiu participar e deseja ser doador de sangue basta procurar o Hemocentro Regional em Marabá, que fica na Rodovia Transamazônica, 251, bairro Amapá. para doar é preciso ter entre 16 a 67 anos, pelo menos 50 quilos e estar em condições de boa saúde.

Publicidade