GTO prende quatro bandidos e mata um no Bairro Nova Carajás 2

Um adolescente de 16 anos foi apreendido, assim como maconha, crack e cocaína, e recuperada uma motocicleta roubada. Um dos marginais apontou uma arma para os PMs e foi baleado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma guarnição do Grupo Tático Operacional (GTO), do 23º Batalhão de Polícia Militar, prendeu, em Parauapebas, por volta das 11h45 desta quarta-feira (29), Geovane Araújo Campos, 33 anos, Maicon de Sousa Silva, 26, Marcos Martins Rodrigues, 23, Jéssica Estefani de Melo Oliveira, 26, apreendeu um adolescente de 16 anos, e matou Jeovanes de Sousa Costa, 30, que apontou uma arma de fogo para os policiais militares. As prisões aconteceram na Rua 135, Quadra 912, Bairro Nova Carajás 2.

Com o bando, foram apreendidos 373 gramas de crack, 39 gramas de maconha, 36 gramas de cocaína, uma motocicleta Honda Biz, cinza, placa JVN-7096/Parauapebas (PA), de propriedade de Sandra Silva Rocha, de quem foi roubada; e outra moto, da mesma marca e modelo, de cor vermelha e placa OTV-7089/Jacundá (PA).

A guarnição estava averiguando a denúncia de que, em uma casa da Quadra 912, no Bairro Nova Carajás 2, estariam reunidos indivíduos envolvidos no assassinato de uma pessoa que foi decapitada e também em roubo de motocicletas.

Quando os policiais militares chegaram ao endereço, três indivíduos que estavam no imóvel fugiram correndo enquanto o adolescente, que não conseguiu escapar, foi apreendido em uma casa nos fundos da primeira.

Quanto a Jeovanes Costa, este pulou um muro, entrou na casa vizinha e tentou fazer refém a família que ali estava. Entretanto, com a entrada da guarnição, as pessoas aproveitaram o tumulto para sair do imóvel.

Em um dos quartos, Jeovane já esperava os policiais, armado com uma espingarda calibre 22, com uma munição na agulha e outras duas no bolso. Quanto um dos PMs entrou e percebeu que corria risco de morte, foi mais rápido e disparou duas vezes contra Jeovane, que ainda chegou a ser levado ao Pronto Socorro, mas morreu.

(Caetano Silva)