Governo de Parauapebas despeja mais de R$ 62 milhões em salários na praça

Valor líquido do conjunto de salários pagos aos cerca de 7.600 servidores nesta sexta é maior que arrecadação total de 64 de 144 das prefeituras do Pará; Semed e Semsa lideram volumes.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Os 7.600 servidores públicos municipais vinculados ao Poder Executivo, tanto da Prefeitura Municipal de Parauapebas (PMP) quanto do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep), amanheceram nesta sexta-feira (29) com a conta recheada. A administração municipal efetuou o pagamento do salário de novembro e o décimo terceiro salário, tradicionalmente pago em dose única entre os dias 15 e 20 de dezembro.

Segundo levantou o Blog do Zé Dudu, a folha líquida total, com crédito direto à conta bancária dos servidores, foi de R$ 62.253.890,47. Para se ter ideia da dimensão desse valor, basta saber que 64 das 144 prefeituras paraenses se batem o ano inteiro para arrecadar um montante desse. E exemplos aqui perto não faltam. Água Azul do Norte (R$ 50,76 milhões), São Domingos do Araguaia (R$ 48,61 milhões) e Rio Maria (R$ 47,55 milhões), entre tantas outras administrações, não conseguem ajuntar em receita líquida um volume financeiro que cubra a injeção de um mês de salário e décimo terceiro do governo de Parauapebas.

Pela folha bruta, juntamente com a patronal, a PMP desembolsou exatos R$ 81.634.990,69 nesta sexta. Em valores líquidos, as folhas mais volumosas foram a da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no valor de R$ 22.001.993,87, e a da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), ao custo de R$ 18.775.819,89. Elas batem com folga as despesas com pessoal das demais secretarias e pastas do Executivo.

Só a despesa com pessoal da Semed despachada hoje foi superior à arrecadação inteira das prefeituras de Palestina do Pará (R$ 21,62 milhões), Peixe-Boi (R$ 20,79 milhões), Abel Figueiredo (R$ 19,82 milhões), Magalhães Barata (R$ 19,74 milhões), Santa Cruz do Arari (R$ 18,54 milhões), Bannach (R$ 17,99 milhões), São João da Ponta (R$ 17,2 milhões) e Santarém Novo (R$ 15,07 milhões). As informações, para efeito de comparação, foram levantadas pelo Blog junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a partir da mais recente prestação de contas realizada pelas prefeituras.

Relacionados