Feira coberta de Marabá é engolida por duplicação de BR-222

Ela estava apenas no papel e já tinha contrato de R$ 201 mil assinado e pronto para construir, mas a obra de uma nova pista entre a ponte do Tocantins e o Km 6 passou por cima do plano
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O governo de Marabá recuou oficialmente da ideia de erguer uma feira coberta com dez boxes no Bairro Km 7, em frente à antiga fábrica da Coca-Cola, no núcleo Nova Marabá. O empreendimento, que possui custo previsto de R$ 201 mil, teve contrato assinado em julho deste ano e deveria ficar pronto em março do ano que vem. Acontece, porém, que a duplicação do trecho urbano da BR-222 atrapalhou os planos da administração de Tião Miranda.

Nesta sexta-feira (9), a Prefeitura de Marabá publicou no Diário Oficial da União (DOU) um aviso de suspensão em que dá ciência à sociedade sobre a paralisação da construção da feira, porque esta seria literalmente engolida pela duplicação da BR, no trecho de cinco quilômetros que vai da ponte sobre o Rio Tocantins ao trevo do Km 6, no acesso à Parauapebas.

Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Viação e Obras Públicas (Sevop) acionou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) por ofício para cedência quanto ao uso da faixa de domínio, mas o Dnit não deu resposta. “O projeto de duplicação da rodovia se sobrepõe ao da feira. Por este motivo, opta-se pela paralisação até que seja definido novo local de implantação,” lamenta o governo marabaense, contemporizando que a administração vai estudar um novo local para a feira.

A prefeitura, que mandou parar tudo desde o dia 15 de setembro, informa ainda que, a partir do reinício dos serviços, o cronograma de execução será reprogramado. A empresa G A Construções de Edifícios e Engenharia é a responsável por tocar a obra. Já a duplicação do trecho urbano da BR-222, que, embora seja federal, tem ação do Governo do Pará, terá custo de R$ 37 milhões do tesouro estadual.