Federação Paraense vai criar comissão médica para o retorno do futebol no estado do Pará

A comissão terá responsabilidade de montar um protocolo de segurança para atuar nos jogos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Federação Paraense de Futebol (FPF) anunciou a criação de uma comissão médica logo após a liberação das autoridades para o retorno das atividades esportivas, onde terá como objetivo, a responsabilidade de montar um protocolo de segurança para atuar nos jogos de futebol dentro do estado do Pará como nos campeonatos promovidos pela instituição: Campeonato Paraense 2020 e campeonatos das categorias de base.

“Essa comissão vai servir para que possamos elaborar um protocolo para dias de jogos da Federação Paraense de Futebol. Quais são os jogos? A volta do campeonato estadual e as categorias de base que nós devemos estar realizando no segundo semestre. É um protocolo médico para que a gente possa ter segurança com as pessoas que estão envolvidas nas atividades do futebol,” afirmou Paulo Romano, vice-presidente da FPF.

A ideia da Federação Paraense de Futebol, tendo a frente Paulo Romano, vice-presidente da casa do futebol, como é conhecida a FPF, é que o protocolo com a comissão médica entre em ação já nesta semana que se inicia, com alguns profissionais dentro do projeto montado, como os representantes da saúde, tendo médicos e nutricionistas, além de educadores físicos, dirigentes de futebol, imprensa, entre outros que serão inclusos no protocolo.

“Vamos ter representante do sindicato dos árbitros, que é o Dewson Fernando Freitas da Silva. Nós teremos, também, com o representante dos jogadores, o Oberdan Bendelac. Estaremos com nutricionistas, médicos dos clubes, também apoiando, para que possamos está fazendo o protocolo exequível. Estamos tendo o apoio da CBF, através do Diogo Neto, que é o gerente social, que já tem trabalhado com outras federações para a montagem desse protocolo. Uma equipe muito disciplinar,” disse Paulo Romano.

O protocolo vai contar ainda com um representante da imprensa, que terá a oportunidade de acompanhar a comissão médica opinando sobre uma partida de futebol. O profissional da comunicação vai precisar de quantos funcionários, tendo uma equipe mínima, são necessários para se fazer uma transmissão de rádio e de televisão. Segundo Paulo Romano, a opinião vai ser necessária para se ter um protocolo seguro e para que todos aqueles que estejam envolvidos no dia do jogo dentro do estado do Pará, fiquem com segurança, tanto antes, durante e depois do evento.

Em relação ao Campeonato Paraense, que foi paralisado logo após a 8ª rodada da primeira fase, devido a pandemia do novo coronavírus, a Federação Paraense de Futebol vai seguir obedecendo ao decreto governamental. Mas segundo o vice-presidente, a FPF acredita em um possível retorno bem antes do final do ano, já apostando em uma curva descendente da Covid-19 dentro do estado.

“Com todas as tomadas de decisões que estão sendo feitas pelo governo do estado e pelos órgãos competentes, acredito que teremos uma queda, uma curva descendente a partir de julho. No meu otimismo, acredito que possamos estar retornando no final de julho, ou na primeira quinzena de agosto. Devemos ter um pouco mais de paciência para que no momento certo e com todas as coisas sendo encaminhadas, de acordo como estão sendo feitas pelo governo do estado, para que possamos retomar com total segurança,” finalizou Paulo Romano.

Por Fábio Relvas

Publicidade