Especialistas do HRSP e HRT alertam para prevenção e cuidados com a saúde masculina

O alerta reforça as ações sobre a importância dos cuidados com a saúde masculina. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), 55% dos homens acima dos 40 anos deixaram de ir ao médico durante a pandemia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Especialistas orientam que homens precisam cuidar mais da saúde para evitar doenças, como câncer de próstata e pênis

Continua depois da publicidade

Especialistas do Hospital Regional Público do Sudeste do Pará (HRSP) e Hospital Regional Público da Transamazônica (HRT) alertam a população masculina quanto aos cuidados com a saúde no Dia o Homem, celebrado nesta quinta-feira (15). Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostrou que, durante a pandemia, 55% dos homens acima dos 40 anos deixaram de ir ao médico ou abandonaram algum tratamento.

Para o urologista Cassiano Barbosa, que atua pela Pró-Saúde no Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso, em Marabá, no sudeste o estado, o dado é preocupante, já que a prevenção é a melhor alternativa para combater as doenças que afetam os homens e que poderiam ser evitadas com visitas regulares ao médico. Ele também acrescenta que hábitos saudáveis ajudam a prevenir algumas enfermidades.

“A adoção de hábitos saudáveis, a prática de atividade física regular, a alimentação balanceada e o uso moderado de bebidas alcoólicas também são fundamentais para a prevenção de doenças que afetam a saúde masculina”, orienta o especialista.

Ainda de acordo com ele, as doenças do sistema circulatório como infartos e o acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame, estão entre as principais causas de morte entre homens no país. “É muito importante que os homens previnam doenças como a cardiopatia isquêmica, que bloqueia as artérias que levam o sangue ao coração, bem como controle sua pressão arterial. Esses cuidados reduzem muito os riscos de sofrer um infarto ou AVC”, explica o médico.

De acordo com o urologista Eduardo Capatti, do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, no sudoeste do estado, é recomendado que, depois dos 40 anos, o homem faça mais exames de rotina, para detectar principalmente doenças relacionadas ao gênero, como a disfunção erétil e o câncer de próstata. “Sem dúvidas, é preciso prestar atenção ao corpo e ficar atento aos sinais que ele envia. O cuidado deve ser diário. A identificação precoce de doenças aumenta as chances de um tratamento eficaz. Por isso, alguns exames devem fazer parte da rotina dos homens”, diz Eduardo Capatti.

Ele observar que é essencial manter consultas regulares, mesmo no período de pandemia.  O especialista alerta que outra doença, que apesar de rara, pode afetar profundamente a saúde masculina é o câncer de pênis.

Segundo o médico, se não for diagnosticado a tempo, pode levar à amputação total do membro, trazendo consequências físicas, sexuais e psicológicas ao homem. “Os sintomas mais comuns da doença envolvem uma ferida persistente na região do órgão ou uma tumoração na glande, prepúcio ou corpo do pênis, que associados a uma secreção branca (esmegma) podem indicar o câncer. A higiene íntima do órgão com água e sabão está entre as principais formas de prevenção da doença”, orienta o médico.

Tina DeBord