Notícias

É correto a participação da operadora Vivo e do Basa na campanha plebiscitária?

Ainda em trânsito acabo de saber via celular que o jornal O Liberal teria noticiado declaraçãoes de apoio à campanha pelo não no plebiscito que ouvirá a população sobre a …

Ainda em trânsito acabo de saber via celular que o jornal O Liberal teria noticiado declaraçãoes de apoio à campanha pelo não no plebiscito que ouvirá a população sobre a criação dos Estados de Carajás e Tapajós da empresa operadora de telefonia VIVO e do Banco da Amazônia S/A.

Sem entrar em detalhes, ate porque só a tarde poderei ler a notícia completa, quero deixar aqui somente uma pergunta: é justo uma empresa receber uma concessão pública para prestação de um serviço, arrecadar e depois usar parte desses lucros para apoiar campanha política, seja pra A ou B? Passo a mesma pergunta quanto ao BASA, que em nenhum momento de sua constituição recebeu o poder do povo paraense, seu legítimo dono , para ajudar politicamente A ou B.

Isso deve ser investigado, e, se não passar de delírio jornalísitco do Liberal ou de quem informou o blogger, deve ser tratado como crime. Voltarei ao assunto.

 

19 comentários em “É correto a participação da operadora Vivo e do Basa na campanha plebiscitária?

  1. Viva o debate. Responder

    A divisão do Estado não vai aumentar ou diminuir a corrupção, que é maior ou menor dependendo da ação dos grupos políticos no poder. A divisão traz beneficios que só acontecem quando a descentralização é posta em prática. Parauapebas abriu mão de Canaã dos Carajás e foi bom para nossa região, assim como foi bom para o Pará quando desmembrou Parauapebas de marabá. Pensem no fortalecimento do norte do Pais para enfrentar as dificuldades regionais. Nossa representação no senado federal passa de 3 para 9 senadores, na câmara federal de 17 para no mínimo 24. Francamente não haverá nenhum prejuizo para qualquer das partes. Nosso prejuizo está na omissão dos orgãos fiscalizadores (Câmaras municipais, assembleias legislativas, TCM, TCU, nós eleitores que vemos políticos multliplicarem seus patrimônios e não fazemos nada, etc). Enfim, a redivisão é uma necessidade para o desenvolvimento do País e principalmente da nossa Região, não traz prejuizos a ninguém, só melhoras para ambos os lados.

  2. Sergio Responder

    Os Estados já nasceriam falidos e a União teria que complementar essa diferença. Ou seja, todos os brasileiros iriam bancar esta despesa.
    Os novos estados teriam uma população muito rarefeita, sendo que os dois, individualmente, teriam uma população menor do o municipio de Belém, excluindo a região metropolitana. Será razoável um gasto tão grande para beneficiar uma população tão pequena?
    A criação de Estados por si só não gera riqueza, apenas para sua elite política e econômica. A população do sul e do oeste do Pará, não se beneficiará com a divisão.
    E os investimentos que o Governo fez nestas regiões?
    Com o o Pará irá quitar esses débitos, se estas unidades nascerão livres de dividas? Como o Pará, se sustentará com a diminuição de receitas, mas com a continuidade das despesas, já que ficará com a maior parte da população e a totalidade dos débitos existentes antes da divisão?
    Penso que querem excluir as hidrelétricas de Tucurui e Belo Monte do Estado do Pará, que passará de exportador para importador de energia elétrica, prejudicando toda apopulação paraense.

  3. Denilson Marques Responder

    A região do estado do Pará que luta pela divisão é uma das mais ricas do BRASIL e não precisa de uma divisão do estado para melhorar suas infra-instrutoras em educação, saúde, saneamento, segurança e etc… o dinheiro que esses municípios que são ricos (como os municípios que vivem dos impostos da Vale e empresas que prestam serviço pra mineradora).
    O maior problema está na incompetência dos políticos na nossa região, e são eles que querem governar o estado de Carajás?
    Nos não precisamos dividir o estado para ter uma vida melhor, o que precisamos fazer, é eleger nas próximas eleições pessoas comprometidas há mudar essa situação.
    Pendem nisso.

  4. soam Responder

    Veja como é a democracia?! As pessoas defendem, mas ao mesmo tempo, tem medo. Deixe esta turma do contra, ser feliz! Até porque felicidade dura pouco….

  5. Sergio Responder

    Engraçado né, o Zé fala que vai votar sim para que seus filhos possam aprender a escrever, isso é uma prova da imcompetência da prefeitura de Parauapebas, que recebe milhões da Vale, FPM, Fundesp e atá hoje não implatou ensino digno no municipio. Total falta de preparo da administração municipal. Será? A varinha de condão vai funcionar como uma mágica?
    Isso é conversa de politico espertalhão.
    É por isso que nós paraenses devemos dizer não a proposta ridicula de esquartejar o Estado.

  6. Clayton Responder

    Zé Dudu, burrice se conserta, mas ignorancia não. Do que vai aidantar vota SIM se vai ficar a mesma coisa para o cidadão que todo dia trabalha. Só irá melhorar para politicos, empresários e alguns pseudo-jornalistas e pseudo-blogueiros.
    Luiz, então te vende por um pedaço de asfalto que enquanto isso vai faltar remédio e curativos quando algum dia, que espero que não aconteça, te acidentares e for parar em um hospital público de Parauapebas. Ou se houver acidente pior, pra onde acha que vão te mandar??
    Pessoas com mentalidade igual a sua é o que os “emancipadores” querem…

  7. LUIZ Responder

    Se o politico que mora na mesma rua que eu, roubar. Legal, pelo menos vou ter minha rua asfaltada. Agora, se ele morar em Belém, o que eu vou ganhar com istó?

  8. Nome (obrigatório) Responder

    É isso mesmo Michel! Concordo, Porque os que defendem essa idéia de criar um novo estado<especialmente os que moram em Parauapebas não lutam para que parauapebas desemvolva já que a cidade não depende do fundo de participação dos Municipios para se manter. Aqui tem recurso suficiente para fazer uma cidade bem organizada em todos os aspectos, no entanto vive um caos. É bom ficar de olho e dizer NÃO! A esses intreceiros que ficam formando engodo tentando confundir aos menos esclarecidos em relação ao assunto, dizendo que vai melhorar,q vai melhorar. Eu sei bem o que vai melhorar! A conta bancária deles. Que ninguem seja ingeno ao ponto de achar que com essa taldivisão tudo vai ficar maravilha. Quanto menos espaço dermos pra corrupção melhor. É NÃO A essa idéia!

  9. Michel Tavares Responder

    Concordo com Clayton, Parauapebas só perde para Belém em arrecadação e olha como vive o povo, minha rua não é asfaltada meu filho estuda em colégio particular pois na escola publica que estudava em Parauapebas não tinha professor de química e física… do mesmo modo que eles fazem a gestão do dinheiro de Parauapebas vão fazer com o dinheiro do estado de Carajás ….

    Não vamos criar + territorios para corrupção,nepotismo e obras sem licitação.

    NÃO A DIVISÃO DO PARÁ

  10. Maria Oliveira Responder

    Michel Tavares, estou contigo e não abro. Zé se for tratado como crime já tem mto criminoso por aí…acho que não é por esse lado, como diz o Bari cada um puxa sardinha para quem acha que deve.

  11. Clayton Responder

    É correto que o BASA receba dinheiro público, mas este mesmo dinheiro deve ser aplicado em investimentos particulares na região ao qual o bando está vinculado e que deve voltar com juros e correções ao Tesouro Nacional, além disso o BASA não é empresa pública, é uma empresa mista em que o maior acionista é o governo federal, razão pela qual o mesmo receber do governo dinheiro. Quanto a VIVO ela nem em sonho quer ser publica e o dinheiro público que ela recebe ela tem de devolver com juros.
    Quanto a atitude do grupo O LIBERAL não vejo nenhum questionamento, pois a empresa é sediada em Belém, de onde vem seu maior público, assim como a rádio Arara Azul e certos blogueiros fazem pelo sul do Pará. Quanto a questão de voto, temos de esperar as campanhas que irão passar nos canais de televisão e por ai vamos tirar os argumentos e saber votar. Muito se fala que as regiões irão se desenvolver economicamente, mas ninguém comenta com relação à melhoria da educação, da saúde, da segurança. Será que a educação irá melhorar mesmo, pois mesmo em Parauapebas, uma das cidades mais ricas do Pais, temos creches e escolas municipais que mais parecem depositos de crianças, sem infra-estrutura, algumas com esgoto à céu aberto, propagandas comerciais com graves erros de portugues, hospital sem condições de receber dignamente a população, pois ja vivi na pele o que é chegar às 08 da manha e so sair às 04 da tarde devido a bagunça que é o hospital e a falta de capacitação dos funcionários e isso tudo com uma arrecadação imensa que a cidade tem e por incrivel que pareça a imprensa local e nem os blogueiros quase não divulgam, além de outras situações. Engraçado como o Demerval Moreno fala tão bem da gestão municipal né?

  12. Michel Tavares Responder

    Em Parauapebas não tem paraense. 95% é de gente de outros estados, principalmente do Maranhão. Só 5% são paraenses natos.
    O que os separatistas querem mesmo é roubar um pedaço do Pará, que os acolheu e continua acolhendo todos que aqui chegam.
    Imagine você abriga alguém na tua casa e daqui a alguns anos essas pessoas que voce abrigou querem um pedaço de sua casa. E ainda querem a parte melhor!!!

    Por isso sou a favor dos principais empresas e meios de comunicação do Pará se mobilizem contra a divisão.

  13. Bariloche Silva Responder

    Zé, sou totalmente a favor da criação dos novos estados, porém acho que essa campanha de empresas defendendo o “sim” ou o “não” vai ocorrer livremente… Nós do Pebinha de Açúcar por exemplo defendemos o sim, da mesma forma que você, a Arara Azul, enfim, acho que sempre vai ocorrer esse tipo de manifestação, cada um “puxando” para o lado que defende….

    • Zé Dudu Autor do postResponder

      Bari, só que nós não recebemos dinheiro e financiamento público para constituirmos nossas empresas, aí é que mora o perigo pois, se é dinheiro público é meu, seu, de todos e não só dos que defendem o NÃO.

  14. jorge Responder

    a vale em nenhum momento se declarou de qual lado estaria. A mesma coisa seria a operadora e o banco. Isso pode prejudicar até mesmo a propria empresa. Por que ela está presente nos dois lado. A mesma coisa é em eleição, muitos comerciantes apoiam um candidato mais nao afixa cartazes em sua loja, por motivos de terem clientes que que não está do mesmo lado dele.

  15. Denilson Marques Responder

    Bom, nos vivemos num país democrático e livre.
    Qualquer empresa que tenha atuação em todo o estado do Pará, já mais apoiará só o lado A ou B, elas vão procurar apoiar ambos os lados, tudo isso para manter seus negócios após a possível divisão do estado.
    Não podemos ficar surpresos com atitudes como a da VIVO e Banco BASA, isso está ocorrendo com outras empresas, lideranças comunitárias e políticos que já pensam no “Plano B caso o estado não seja dividido”, todos os empresários, lideranças comunitárias e políticos só estão pensando nos seus bens e nada mais.

  16. Michel Tavares Responder

    A Radio Arara azul em Parauapebas faz campanha a favor da divisão a manhã toda, porque a Tv liberal não pode fazer campanha contra a divisão a Divisão?

Deixe seu comentário