Dupla da Honda Bros leva a morte mais uma vez em domicílio em Parauapebas

Wesley Alves de Araújo, de 18 anos, recebeu uma ligação na madrugada. Abriu o portão a um "amigo" e foi liquidado. É a terceira execução, esta semana, em que os matadores vão ao endereço da vítima!

Continua depois da publicidade

Wesley Alves de Araújo, 18 anos, natural de Parauapebas, foi executado com cinco tiros de pistola calibre 380. O crime aconteceu por volta de 1h20 da madrugada deste, sábado (22), na porta da casa dele, na Rua Marabá, Bairro da Paz. Após receber uma ligação no celular, ele levantou para abrir a porta para alguém supostamente conhecido e foi assassinado.

Segundo o que levantou a polícia no local, Wesley de Araújo já estava deitado para dormir, quando recebeu a ligação de um suposto amigo e disse “Fala mano. Sim, eu moro aqui na esquina sim, estou saindo pra te atender”, desligou e se dirigiu ao portão.

Quando abriu, foi surpreendido pela saraivada de tiros sendo atingido por cinco disparos, morrendo instantaneamente no local. Após a execução os pistoleiros que estariam em uma motocicleta Honda Bros, se retiraram.

A Polícia Militar foi chamada e isolou o local do crime até a chegada da equipe da Polícia Civil e do perito criminal acompanhado da equipe de remoção do Instituto Médio legal (IML).

Na casa de Wesley Alves de Araújo, os policiais apreenderam uma motocicleta Honda CG Start 160, cor vermelha, placa QEZ-9035, com registro de roubo. A polícia ficou de averiguar as imagens das câmeras de monitoramento próxima ao local do crime para tentar identificar os autores do homicídio. Até o momento há duas hipóteses para o crime: briga entre facções, pois o jovem faria parte de um desses grupos, ou acerto de contas.

Agora, a morte bate à porta das vítimas

Da mesma maneira que o jovem Wesley de Araújo, foi assassinado, em casa, Osvaldo Crispim Correia Filho, de 57 anos de idade; e Wesley Sales da Conceição, foram executados  dentro de moradia, na última terça-feira (18).

No primeiro caso, os matadores arrombaram uma porta de vidro e executaram Osvaldo Crispim na cama em que ele dormia. Já no caso de Wesley da Conceição, os atiradores invadiram a casa em que ele estava e o eliminaram. Ou seja, agora as vítimas não são ais tocaiadas nas ruas ou em bares. A morte vai à casa delas!

(Caetano Silva)

%d blogueiros gostam disto: