Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Quinteto é preso quando saía de Marabá para “aprontar” em Abel Figueiredo

Eles foram autuados pelos crimes de associação criminosa, porte ilegal de armas de fogo e tráfico de drogas.
Continua depois da publicidade

Por volta de 13 horas desta segunda-feira, dia 3 de setembro, a Polícia Civil, através do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI/Marabá) juntamente com a Polícia Militar do Destacamento de Morada Nova, efetuaram a prisão de cinco pessoas acusadas de se prepararem para cometer crime na vizinha cidade de Abel Figueiredo, a 90 km de Marabá.

Os policiais agiram rápido, após receberem informações de que supostos foragidos do Sistema Penal teriam se deslocado de Marabá para Abel Figueiredo para praticar crimes. Diante disso, eles montaram uma barreira policial na BR-222, em frente a uma aldeia indígena a 6 km do bairro Morada Nova.

Na campana, os policiais avistaram o veículo Ford Fiesta Sedan 1.6, placa JVN-1875, cor preta, e foi determinada a parada do mesmo para realização de abordagem. Nesse momento, um dos homens que estavam dentro do veículo tentou fugir do local, porém caiu próximo ao veículo e a equipe de policiais o reconheceu como o temido “Manoelzinho”, homicida foragido.

Além de Manoelzinho (Manoel Pedro Araújo Sales), estavam ainda no veículo Felipe de Oliveira Pedreira, Geovanne Nascimento Macedo, Rafaela Vieira Silva e Ítala Vitória Furtado Barbosa. Os policiais reconheceram Rafaela (a Rafa) como traficante de drogas.

No interior do veículo foram encontrados: um revólver calibre 38, nº 1662435, com quatro munições intactas; um revólver calibre 38, nº 129505, com três munições intactas; e uma trouxa de substância semelhante à maconha (aproximadamente 50 gramas).

Em continuidade à diligência, a equipe se deslocou até o Residencial Tiradentes, onde foi encontrado Dheifesson Rodrigues dos Santos, parceiro de Manoelzinho. Com ele foi encontrada uma espingarda calibre 12, modelo 586, nº 84078, e, tanto ele quanto a arma, foram conduzidos para a Seccional de Policia Civil da Nova Marabá, para os procedimentos legais.

Em seguida, as equipes se deslocaram até a casa de Rafaela Vieira e lá foram encontrados aproximadamente 1,7 kg de substância semelhante à maconha, que estava dentro de uma bolsa, embaixo de sua cama.

Os demais acusados, Felipe de Oliveira Pedreira, Geovanne Nascimento Macedo, Ítala Vitória Furtado Barbosa e Dheifesson dos Santos foram todos conduzidos para a Seccional Urbana de Marabá, onde foram autuados pelos crimes de associação criminosa, porte ilegal de armas de fogo e tráfico de drogas.

Polícia

Assaltantes que sequestraram van em Abel Figueiredo se rendem

Sem saída, cercados por 16 homens da PM, restou aos quatro assaltantes se entregarem. Todos são de Marabá
Continua depois da publicidade

Os quatro assaltantes que mantinham reféns em uma van, na Vicinal do Lixão, em Abel Figueiredo, se entregaram por volta das 18h30 e foram apresentadas na Delegacia de Polícia Civil daquele município. O negociador foi o sargento Morais. O bandidos se entregaram depois da chegada dos familiares e da Imprensa, conforme haviam exigido.

Logo cedo, eles atacaram uma van na Rodovia BR-222 com o intuito de roubar os passageiros, mas a Polícia Militar foi avisada e cercou o veículo de passageiros, que foi desviado para a Vicinal do Lixão.

“Apesar das adversidades, a população local tem sorte em contar com policiais competentes, comprometidos e honrados! Mais uma missão ‘inseticida’ resolvida, temporariamente. Os quatros ladrões, que vieram de Marabá roubar em Abel, já se entregarem e nesse momento estão sendo conduzidos ao delegado para procedimentos legais”, comemora um dos policiais envolvidos na missão que conseguiu fazer com que os reféns saíssem ilesos.

Abel Figueiredo e um município localizado na microrregião de Paragominas, mesorregião do Sudeste Paraense. O município tem cerca de 8 mil habitantes (2017).

Barca da Bola conquista o 14° Copão Intermunicipal Abel Figueiredo de Futebol

A partida contra a Aldeia Kriamretijêfoi acirrada do início ao fim, terminando empatada em 3 a 3 no tempo normal, com vitória do Barca da Bola nos pênaltis
Continua depois da publicidade

O Barca da Bola, time de futebol amador da cidade de Parauapebas, conquistou um feito inédito. O time que leva o nome de um bloco carnavalesco foi o grande campeão do 14° Copão Intermunicipal Abel Figueiredo de Futebol, no último sábado (14), no Estádio Britão, em Abel Figueiredo. A decisão foi diante da aldeia Kriamretijê do município de Bom Jesus do Tocantins do estado do Pará. No tempo normal, as equipes empataram em 3 a 3, e nos pênaltis deu Barca da Bola, vencendo por 4 a 3.

A partida foi acirrada do início ao fim e quem saiu na frente foi o time da aldeia Kriamretijê. O Barca da Bola foi em busca do empate e chegou lá através do meia Juninho, ex-PFC. Mas aos 40 minutos, ainda do 1° tempo, o time indígena voltou a marcar e foi para o intervalo na vantagem. O vestiário mais uma vez fez a diferença para a equipe de Parauapebas, que voltou mais concentrada em busca do objetivo.

Logo no comecinho do 2° tempo, o Barca da Bola igualou o placar, com o gol do zagueiro Rodriguinho. A alegria durou pouco tempo, pois cinco minutos depois, a equipe da aldeia Kriamretijê, muito forte fisicamente, marcou o terceiro tento e ficou outra vez na frente do marcador. O time de Parauapebas não sentiu o golpe e buscou até o fim o empate e ele veio aos 30 minutos, com o gol assinalado por Matheus, filho do professor Santos, que é auxiliar técnico da equipe.

Com o resultado de empate no tempo normal em 3 a 3, a disputa foi para os pênaltis. Melhor para o time do Barca da Bola, que venceu, por 4 a 3. Rafinha foi o único que perdeu a cobrança, enquanto que: Wildeglan, Lucas Pará (Pão de Queijo), ítalo do Doce Norte e Uelson (Gordinho volante do Crap), marcaram para o time do Barca da Bola, que comemorou o título em Abel Figueiredo.

O time titular do Barca da Bola entrou em campo para a final escalado pelo técnico João Maciel, o popular Maranhão, com o futebol de: Tiago; Renatinho (ítalo), Ronalth, Rodriguinho e Matheus ; Jorge, Matheus Moreno (Rafinha), Juninho (Uelson) e Júnior Chico (Paulinho); Higo (Wildeglan) e Lucas Pará. O time do Barca da Bola conta também com uma comissão formada por Santos (auxiliar técnico), Dinho Marcos (preparador físico), Mão de Onça (preparador de goleiros) e Handerson (massagista).

“O sentimento que tivemos quando fomos campeões foi de dever cumprido, já que sabemos o quanto temos jogadores com potência de estar no profissional e o objetivo maior que é está tentando resgatar a valorização do amador, resgatar aquilo que todo mundo sabe que aqui em Parauapebas tem o melhor campeonato amador da região. Resgatar nossa seleção amadora para está disputando essas competições”, afirmou Júnior Chico, meia e um dos destaques da equipe do Barca da Bola.

A competição teve uma premiação de R$ 12.800, sendo R$ 10.000 para o campeão e R$2.800 para o vice. O Copão Intermunicipal Abel Figueiredo é considerado o maior e o melhor campeonato de futebol amador da região sudeste do estado do Pará. O time do Barca da Bola fez história e em quatro partidas, sempre eliminatórias, venceu três e empatou uma, e apesar de já existir há sete anos, o Copão foi a primeira competição oficial da equipe fora da cidade de Parauapebas.

Por Fábio Relvas

Chuvas

BR-222 está cortada em Abel Figueiredo devido às fortes chuvas que caíram durante a madrugada

A empresa responsável pela manutenção da rodovia já está no local para os reparos, informou o DNIT em Marabá
Continua depois da publicidade

A forte chuva que caiu durante a madrugada no município de Abel Figueiredo deixou estragos na rodovia federal BR-222. Os bueiros não suportaram o volume de água e a estrada cedeu em trecho a 92 km de Marabá, interrompendo o trânsito. Condutores em Belém com destino à Marabá têm que rodar cerca de 500 quilômetros, contornando por Imperatriz, no Maranhão

Diversas residências de um bairro localizado na periferia da cidade foram alagadas com o rompimento da estrada e consequente aumento no volume de água. A defesa civil do município foi acionada.

O DNIT em Marabá informou que o contrato de manutenção daquele trecho da rodovia é da empresa LCM e que ela já está no local desde 8 horas de hoje para efetuar os reparos necessários. A previsão é de que os bueiros que romperam sejam restabelecidos ainda hoje, assim como o tráfego na rodovia

Marabá

Reunião em Marabá discute situação de fazenda ocupada por sem terra

Continua depois da publicidade

downloadUma reunião realizada nesta sexta-feira (31) discutiu a situação da Fazenda Astúria, em Abel Figueiredo, no sudeste do Pará. Esta semana, segurança e sem terras entraram em confronto. O encontro ocorreu em Marabá e ficou definido que i Incra fará uma visita ao acampamento na próxima semana para cadastrar as famílias e distribuir cestas básicas aos acampados.

Os advogados da fazenda garantiram que os trabalhadores rurais não serão mais proibidos  de entrar e sair do acampamento até que a situação fundiária da fazenda seja resolvida.

O confronto ocorreu na última quarta-feira (29). Os sem terra registraram o momento em que os seguranças da fazenda atiraram contra os trabalhadores rurais. As imagens mostram o momento dos tiros, quando os seguranças empurram os sem terra e tentam impedir a filmagem.  Um homem, que teria levado um tiro, aparece caído no chão.

A fazenda Astúria foi ocupada há nove meses por 60 famílias sem terra. A Comissão Pastoral da Terra pediu ao Incra que esclareça se a área ocupada pelos sem terra pertence à União ou à fazenda. O incra encaminhou a solicitação ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e aguarda o parecer.

Notícias

Acordo de conciliação põe fim a conflito agrário no Pará

Continua depois da publicidade

Um acordo entre um fazendeiro e 56 famílias integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) pôs fim à disputa por uma fazenda de 460 alqueires (12,5 milhões de metros quadrados) no sudeste do Pará. A conciliação ocorreu na segunda-feira (9/12) durante audiência na Vara Agrária de Marabá.

As famílias, que relatam viver há 12 anos em um acampamento na Fazenda Grapiá, no município de Abel Figueiredo, ficaram com a posse de 61% das terras. Caberá ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) criar um assentamento na área. Os 39% restantes ficaram com o fazendeiro.

A audiência de conciliação foi presidida pelo juiz Jonas da Conceição Silva, titular da Vara Agrária de Marabá e retira a necessidade de que seja examinada uma ação de reintegração de posse proposta pelo fazendeiro em fevereiro deste ano.

Segundo o juiz, o documento de titularidade apresentado pelo fazendeiro, autor do processo, não tinha validade. “Diante dessa constatação, o suposto proprietário, que até então desconhecia a irregularidade do documento, concordou em celebrar o acordo com as famílias”, disse Silva, que apontou a existências de outras propriedades suspeitas de apresentarem títulos falsos. A área tem intensos conflitos entre integrantes do MST e quem se declara dono de terras.

Com informações da Agência CNJ de Notícias.