CPI da Covid aprova convocação de nove governadores

Governadores vão recorrer ao STF para não serem ouvidos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Senadores da CPI da Covid em conversas de bastidor nesta quarta-feira (26)

Continua depois da publicidade

Brasília – A reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPI da Covid) desta quarta-feira (26), aprovou o requerimento de convocação de nove governadores. Também serão ouvidos novamente o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga. Também foi convocado o ex-governador do Rio Wilson Witzel o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, Filipe Martins.

O pedido de convocação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi apresentado pelo vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), mas a reunião foi encerrada sem votar o pedido.

Na justificativa para a convocação de Bolsonaro, Randolfe havia escrito que “a cada depoimento e a cada documento recebido, torna-se mais cristalino que o Presidente da República teve participação direta ou indireta nos graves fatos questionados por esta CPI”. O senador também destacou fatores que, em sua avaliação, relacionam o presidente aos números negativos da pandemia, como o combate às medidas de isolamento social e ao uso de máscaras.

Tão logo a sessão começou, senadores governistas argumentaram que o pedido para ouvir Bolsonaro é inconstitucional, pois caracteriza uma afronta à independência dos poderes.

Randolfe disse que esse argumento é o mesmo que veda a convocação de governadores pela CPI. Senadores governistas acusaram o senador do Amapá de ter incluído o pedido de convocação de Bolsonaro como uma manobra para impedir a convocação de governadores.

Diante da polêmica, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), decidiu encerrar a sessão da comissão sem votar o pedido de Randolfe.

Saiba quem são os governadores convocados pela CPI

Apesar de não votar o requerimento envolvendo Bolsonaro, a CPI aprovou a convocação de nove governadores de estado. Terão de comparecer à CPI, os seguintes governadores:

Distrito Federal, Ibaneis Rocha

Santa Catarina, Carlos Moisés

Piauí, Wellington Dias

Amazonas, Wilson Lima

Pará, Helder Barbalho

Tocantins, Mauro Carlesse

Roraima, Antonio Denarium

Amapá, Waldez Góes

Rondônia, Marcos José Rocha dos Santos.

Todos esses governadores comandam estados onde houve operações da Polícia Federal (PF) para investigar suspeitas de desvios de recursos federais destinados ao combate à pandemia.

Também foi convocado o ex-governador do Rio Wilson Witzel — que foi cassado devido aos escândalos de desvios de recursos para a pandemia.

Os senadores também aprovaram a reconvocação do ex-ministro Eduardo Pazuello, acusado pela oposição de ter mentido à CPI em seu primeiro depoimento. Outro que voltará à CPI é o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Também foi convocado o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, que teria participado de uma reunião em que se discutiu compra de vacinas contra a Covid-19 com a Pfizer.

A CPI da Covid aprovou ainda convocação do empresário Carlos Wizard Martins e do advogado Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República. Ambos são mencionados como “conselheiros informais” do presidente Jair Bolsonaro e de autoridades do Ministério da Saúde para assuntos ligados à pandemia de coronavírus.

Outra decisão dos senadores é que a CPI vai realizar sessões para ouvir cientistas pró e contra o chamado tratamento precoce contra o coronavírus.

A sessão de hoje da CPI não fixou, contudo, as datas dos novos depoimentos.

A reportagem do Blog do Zé Dudu apurou que os governadores convocados vã recorrer ao Supremo Tribunal Federal para derrubar a decisão da cpi.

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.

Publicidade