Covid-19: terceira dose da vacina será aplicada a partir de setembro

Aplicação do reforço começará na segunda quinzena do mês, a todos os indivíduos imunossuprimidos após 28 dias da segunda dose e para as pessoas acima de 70 anos vacinados há 6 meses
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Ministério da Saúde informou que iniciará, na segunda quinzena de setembro, a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 a “todos os indivíduos imunossuprimidos após 28 dias da segunda dose e para as pessoas acima de 70 anos vacinados há 6 meses”.

A decisão pela aplicação da terceira dose foi tomada de forma conjunta na noite de ontem (24), em reunião da pasta com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) e a Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (Cetai).

Segundo o ministério, a imunização deverá ser feita, preferencialmente, com uma dose da Pfizer ou, de maneira alternativa, com a vacina de vetor viral Janssen ou AstraZeneca.

Também foi decidido, durante a reunião de ontem, que haverá redução do intervalo entre as doses da Pfizer e AstraZeneca, de 12 para 8 semanas.

Quem são os imunossuprimidos?

Indivíduos imunossuprimidos são aqueles cujos mecanismos normais de defesa contra infecção estão comprometidos. Nesse caso se enquadram:

– Neoplasias hematológicas com ou sem quimioterapia;

– HIV positivo com CD4< 200;

– Asplenia funcional ou anatômica;

-Transplantados;

– Quimioterapia nos últimos 30 dias;

– Paciente em uso de corticosteroides por mais do que 15 dias (prednisona >40 mg/dia ou hidrocortisona > 160 mg/dia ou metilprednisolona >32 mg/dia, ou dexametasona > 6 mg/dia)

– Doenças autoimunes

– Outros imunossupressores

-Imunodeficiência congênita

(Com informações da Agência Brasil/ Foto: Fábio Pozzebom)