Chapa 1 vence eleição do Sinseppar

Oposição não conseguiu ameaçar grupo que há oito anos comanda o sindicato. Vitória nas urnas é recado para o governo municipal
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Com 563 votos, a Chapa 1 “Valorizando o Servidor” foi eleita nesta terça-feira, 27, para dirigir o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Parauapebas (Sinseppar) até o ano de 2022, sob a presidência de Marden Lima e vice-presidência de Gilvan Lima, que integram o grupo que está à frente da entidade desde 2012.

As outras duas chapas – “Responsabilidade e Transparência” e “A Mudança que Você Precisa” – nem chegaram a ameaçar a principal concorrente. Receberam, respectivamente, 148 e 178 votos. Houve ainda sete votos em branco e dois nulos.

Nos sete locais de votação, a Chapa 1 só perdeu na sede da Secretaria Municipal de Obras (Semob) ao receber 38 votos contra 47 da Chapa 3 – “A Mudança que Você Precisa”. Já na sede do Sinseppar a vitória dos eleitos foi esmagadora: 212 votos contra 15 para a Chapa 3 e 13, para a Chapa 2.

A apuração dos votos foi na noite de ontem, com a proclamação do resultado. A posse da nova diretoria será às 9 horas da próxima segunda-feira, 1º de abril, na sede do próprio sindicato, no bairro Cidade Nova.

Com larga experiência em sindicalismo e ex-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marden Lima avalia que o resultado das urnas manifesta o reconhecimento da maioria dos servidores de Parauapebas ao trabalho realizado pelo Sinseppar ao longo dos últimos oito anos para valorização da categoria.

Para Marden Lima, não tem como fazer uma análise de resultado da eleição sem fazer uma recapitulação histórica do próprio Sinseppar, que contava com apenas 280 filiados e era um sindicato “esvaziado, sem representatividade e de um homem só”, na definição do novo presidente da entidade.

Atualmente, são quase 1,9 mil filiados. “Isso não é conquistado da noite para o dia. É o resultado de um trabalho sério, responsável, das pessoas que estão à frente. E o processo eleitoral nesse momento veio só corroborar com tudo isso que a gente vê, o reconhecimento da categoria, dizendo que se sente representada, que reconhece o sindicato, que reconhece o trabalho dessa gestão e nos dando oportunidade de continuarmos o trabalho sério à frente do sindicato”, diz Marden Lima.

Recado à prefeitura

O resultado da eleição, acrescenta o sindicalista, também é um recado ao governo municipal: “Que o servidor não admite interferência do governo dentro da sua entidade, então a entidade continua e continuará nas mãos dos trabalhadores, representando os interesses dos trabalhadores”.

As palavras do presidente eleito do Sinseppar podem ser traduzidas como uma resposta às especulações pré-eleitorais de que o governo estava por trás das outras duas chapas para tentar derrubar o grupo que comanda o sindicato. Marden Lima admite que essas informações chegaram à entidade, mas ele diz que prefere “não ser leviano” para fazer qualquer afirmação. E tangencia: “Todos são trabalhadores, são legítimos para concorrer; o espaço é democrático”.

Rodada de negociação

Nesta quinta-feira, 28, está marcada a quinta rodada de negociação entre a prefeitura, Sinseppar e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), subseção Parauapebas. Desde o início, Marden Lima tem participado das reuniões e espera que, desta vez, haja acordo entre governo e servidores.

“A expectativa é que avancemos um pouco mais por entender que é possível, sim, termos avanços nessa mesa de negociação que satisfaça de fato a expectativa dos nossos servidores”, diz Marden Lima, que dará continuidade aos programas e projetos iniciados pela atual diretoria do Sinseppar e implementar outros.

Na chamada pauta de lutas, reajuste salarial acima da inflação e a implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), com a progressão vertical para os servidores que investem em qualificação. Hoje, eles só recebem pela progressão horizontal.

Relacionados