Centro Olímpico Tyson Boxe conseguiu adquirir um ringue profissional para a academia

O ringue vai ser colocado no projeto “Resgate”, além de ser utilizado para eventos na cidade
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Centro Olímpico Tyson Boxe, da cidade de Parauapebas, finalmente vai conseguir realizar o sonho dos atletas do município. É que o professor Douglas Silva, idealizador do projeto “Resgate”, conseguiu adquirir a compra de um ringue profissional de boxe, que vai ser colocado em sua academia para seguir revelando novos talentos para o esporte, além de realizar eventos esportivos dentro da cidade.

“O ringue vai está chegando esses dias pra nós. Creio que lá por volta do dia 4, 5 do mês que vem. Amanhã (terça) estou viajando para Belém. O tão sonhado e esperado ringue, vai está chegando para o Centro Olímpico. Já vou querer realizar em agosto, com a permissão de Deus, um mega evento de boxe olímpico para nós. Pelo menos 10 lutas de atletas locais”, afirmou Douglas Silva, professor de boxe.

Apesar de pouco tempo tocando o projeto, Douglas Silva vem revelando talentos para o boxe do Pará. Em competições na capital Belém e até mesmo fora do estado, o treinador conseguiu colocar atletas da cidade em evidências no esporte. O professor acredita que com um ringue profissional poderão surgir grandes atletas em Parauapebas. A ideia é aumentar o Centro Olímpico para uma estrutura bem mais moderna.

“A gente está com uma grande estrutura passando para um galpão, e agora vai ser um mega Centro Olímpico. Nada dentro de Parauapebas se compara a nossa academia de boxe. Vai ser tipo, a academia do Ulysses Pereira, dando um exemplo. Qualquer pessoa interessada pode praticar o boxe no centro. O estado do Pará é o segundo celeiro no Brasil, ficando atrás somente da Bahia”, disse Douglas Silva.

As atividades do Centro Olímpico seguem paralisadas devido a pandemia do novo coronavírus, mas Douglas Silva é inquieto. Juntamente com outros donos de academias, formou uma associação para tentar angariar recursos financeiros em tempos difíceis. Um grupo de amigos foi até o prefeito da cidade de Parauapebas, Darci Lermen, para uma reunião buscando solução para o fechamento das academias.

“Devido a pandemia, houve uma reunião com todos os membros e proprietários de academias. Resolvemos formar uma associação de donos de academias e através dessa associação a gente nomeou o líder, que é o Natanael, onde está brigando para a reabertura do comércio, das academias, e houve uma conversa muito séria da nossa associação com o prefeito, dando como prioridade aos donos de academias. A gente conseguiu fazer um empréstimo no Banco do Povo de 20 mil reais, e agora estou investindo pesado no Centro Olímpico”, finalizou Douglas Silva.

Por Fábio Relvas

Publicidade