Belém deve ser primeira capital a encerrar pandemia, aponta estudo

Metrópoles do PA e do AM já estariam em fase mais avançada do surto de Covid-19 e com ao menos 97% dos óbitos projetados já atingidos. São cerca de 1.800 mortes na capital paraense.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma pesquisa da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que analisa o desempenho da infecção pelo novo coronavírus em seis das sete capitais da Região Norte, mostra que Belém e Manaus (AM) já teriam chegado a 97% dos registros de óbitos estimados por Covid-19. Esse prognóstico coloca as duas maiores metrópoles da Amazônia na dianteira de encerramento da pandemia na região e no país. Segundo o estudo, as demais capitais — Porto Velho (RO), Macapá (AP), Rio Branco (AC) e Boa Vista (RR) — ainda estariam em fases anteriores e até mais iniciais da pandemia, sendo que a situação de Porto Velho é a mais delicada.

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que analisou o boletim “ODS Atlas Amazonas — Especial Covid-19”, documento que faz comparação entre seis capitais da bacia amazônica brasileira revelando as diferenças no estágio de progressão da pandemia, levando-se em conta o tempo de resposta dos governos e a efetividade das medidas adotadas, entre as quais o isolamento social.

De acordo com os autores da pesquisa, que é assinada pelos cientistas Henrique dos Santos Pereira, Danilo Egle Santos Barbosa, Bruno Cordeiro Lorenzi e Ademar Roberto Martins de Vasconcelos, Belém e Manaus detêm as maiores taxas de óbitos por Covid na proporção de 100 mil habitantes. A capital paraense teria um teto de 116 óbitos, enquanto na capital amazonense o teto seria de 99. Até ontem (19), sexta-feira, Belém computava 1.786 óbitos com taxa de 120 por 100 mil, portanto, superior à projetada na pesquisa. Já Manaus registrava 1.678 mortes com taxa de 77 por 100 mil, neste caso, abaixo do estimado no estudo.

Os pesquisadores observam que, embora Manaus e Belém estejam no mesmo estágio de finalização da pandemia, Manaus registrou o avanço letal de Covid quatro dias antes que a capital do Pará. Os pesquisadores também revelam que Belém reportou a pior taxa de isolamento social nas duas primeiras semanas de junho no comparativo com as demais capitais, sendo a única capital do grupo que precisou rever e reverter medidas de reabertura de atividades não essenciais.

Se as projeções estiverem corretas, a capital de Rondônia, Porto Velho, será a última a controlar a pandemia. Atualmente, o município está com quase 9.000 casos confirmados e aproximadamente 300 mortes, numa proporção de 50 óbitos para cada grupo de 100 mil habitantes. É a deslocalização da pandemia para regiões ainda não desbravadas pelo vírus.

Publicidade