Árbitro canaense sofre injúria racial durante partida do Campeonato Rural

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O jovem árbitro Eduardo Viana da Silva passou por uma situação lastimável no último sábado (24) durante uma partida do Campeonato Rural 2018. O juiz apitava o jogo válido pela segunda rodada do Ruralzão entre VS-47 e VP-20.  O jogo estava marcado para as 14:00, mas teve um atraso de 20 minutos pela demora na entrega dos documentos por parte dos jogadores. O pequeno atraso acabou causando irritação na torcida.

Aos 10 minutos de jogo, o árbitro deu um cartão amarelo a um jogador da VS-47. A partida seguiu e o clima esquentou. Aos 14 minutos, a bola tocou na mão de um outro jogador, da VP-20, e a torcida pediu que o juiz desse a falta. Eduardo interpretou como uma jogada não intencional e deixou a partida seguir. Foi então que um torcedor entrou em ação e agrediu verbalmente o árbitro com palavras de baixo calão.

Eduardo falou quais injúrias raciais ouviu: “Ele tentou me atingir com palavras como ‘macaco’, ‘nego-urubu’, ‘nego-safado’ e ainda ameaçou dar tiros em nós. Eu, então, dei a partida como encerrada, pois ele continuou a falar as mesmas palavras contra mim. O técnico da 47, então, foi até o torcedor deles, conversou e os dois entraram em acordo. Logo em seguida, fui analisar o momento e vi que dava para continuar a partida.”

Questionado sobre o que sentiu no momento, o árbitro desabafou: “O sentimento é muito ruim. Isso é puro racismo. Não é porque eu sou preto que posso ser chamado de macaco e essas coisas mais. Tem que haver o respeito. Isso é um absurdo. Vou até a Delegacia de Polícia e fazer um Boletim de Ocorrência contra ele. Vou entregar nas mãos da justiça e espero que ele seja punido para que isso nunca mais aconteça nos jogos e nem em lugar nenhum.”

Procurado pela reportagem, o presidente da Liga Esportiva de Canaã dos Carajás, Leandro Oliveira, comentou o caso: “A situação vivida pelo nosso árbitro, o Eduardo, mais conhecido como Guru, foi lamentável. Isso, infelizmente, é comum em alguns países, essa questão racista. Agora chegar a esse ponto aqui na nossa zona rural do cara ser agredido verbalmente e ser ameaçado de morte por um torcedor, isso é lamentável. Como presidente da Liga e atleta do município, fico muito triste com algo assim acontecendo. Demos total apoio ao nosso árbitro e continuaremos apoiando.”

O torcedor não foi encontrado pela reportagem para comentar o caso.

Publicidade