Voluntários que atuam no Pará são premiados pela Vale

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os projetos desenvolvidos em Belém, Parauapebas e Ourilândia ficaram entre os primeiros colocados.

Três projetos paraenses ficaram entre os dez primeiros colocados, vencedores do Prêmio Voluntários Vale 2015. As ações desenvolvidas nas cidades de Belém, Parauapebas e Tucumã destacaram-se entre 39 ações inscritas de seis diferentes estados: Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe.

Em Belém, o projeto Traçando o Recomeço envolveu a dedicação de voluntários em  atividades para geração de renda e ressocialização de vítimas de escalpelamento – mulheres que têm os cabelos presos no motor dos barcos e perdem o couro cabeludo. A ação teve a parceria da ONG dos Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor, que atua no problema, recorrente nos rios da Região Norte e que tem como objetivo resgatar a autoestima e a motivação dessas mulheres. O projeto alcançou o segundo lugar.

voluntários

Em Tucumã, um projeto de horta comunitária transformou a alimentação de 120 crianças. Foram envolvidos 50 voluntários da Vale, que promoveram o cultivo de hortaliças hidropônicas. A horta veio melhorar a qualidade da alimentação das crianças mantidas pela Associação Casa de Misericórdia de Tucumã. O excedente da produção é vendido para gerar renda e custear a manutenção do projeto. O projeto ficou em quinto lugar.

Já em Parauapebas, o objetivo era contribuir para a melhoria do aprendizado. A ideia foi implantar uma metodologia em que o xadrez fosse visto como suporte pedagógico para o desenvolvimento disciplinar e não apenas uma modalidade esportiva. Os alunos aprenderam o jogo, ganharam o material didático e tiveram acompanhamento no rendimento escolar. A ação conquistou o oitavo lugar.

Diretor de Ferrosos Norte, Paulo Horta entregou prêmio aos voluntários de Parauapebas

Programa Voluntários Vale

Em sua sétima edição, o prêmio é organizado pelo Programa Voluntários Vale. “Nosso objetivo é incentivar uma postura socialmente responsável dos empregados, fortalecer a relação da empresa com a comunidade, estimular o exercício da cidadania pelos empregados e contribuir para o desenvolvimento das localidades onde a Vale atua”, explica Renata Mazoco, gerente de Engajamento, Cultura, Diversidade e Inclusão.

Em quatro anos, o programa já realizou mais de mil ações. E é desenvolvido em dez estados do Brasil (Bahia, Espírito Santo, Pará, Maranhão, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe). Hoje é composto por 30 redes locais, os comitês regionais. Além disso, em 2012, foi implementado na Malásia e em 2013 em Omã.