Vivi Reis assume vaga com eleição de Edmilson Rodrigues

Onze deputados venceram a disputa para prefeito. Suplentes assumem em janeiro
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Brasília – Doze deputados federais que disputaram candidaturas a prefeituras foram eleitos prefeitos após a apuração das eleições municipais desse ano. Uma das suplências chama atenção. Viviane da Costa Reis — a Vivi Reis —, do Psol, disputou em 2018 uma vaga a deputada federal obtendo 22 mil votos ficando na suplência e elegeu-se, há 15 dias, com 9.654 votos, a candidata mulher mais votada para vereadora em Belém. Junto com Bia Caminha (PT), elas foram as primeiras bissexuais assumidas vitoriosas para o legislativo da capital paraense.

Fisioterapeuta, Vivi Reis optou pela vaga como deputada federal, e será a primeira mulher da comunidade LGBT na Câmara dos Deputados. Com isso, o Congresso Nacional passará a ter quatro pessoas LGBT assumidas. Os outros são gays: os deputados cariocas Marcelo Clero (Cidadania) e David Miranda (Psol), e o senador capixaba Fabiano Contarato (Rede). Em seu lugar assume a suplente a vereadora, enfermeira Nazaré Lima (Psol), também negra, com origem na periferia da cidade, que 4.023 votos.

Em sua conta no Twitter, a nova deputada federal comemorou: “A bancada federal do Psol será a única bancada com maioria de mulheres. Seremos seis de um total de dez.”

Com a posse em 1º de janeiro, os parlamentares darão lugar a 11 novos parlamentares, que devem ocupar o plenário pelos próximos dois anos de legislatura.

Um deles, Deuzinho Filho (Republicanos), que concorria a vice-prefeito de Caucaia (CE) e venceu no segundo turno já é suplente e encontra-se atualmente fora do exercício. Os novos empossados da Câmara não devem alterar as composições de gênero da Casa. Mas pela primeira vez, o Psol elegeu uma parlamentar bissexual, Vivi Reis. Ao assumir a prefeitura do Recife, João Campos (PSB-PE), eleito deputado com 460 mil votos, dará lugar a um deputado eleito com 43 mil votos, Milton Coelho da Silva Neto (PSB).

O PSDB deve ganhar duas cadeiras na casa com a saída de JHC (PSB-AL) para a prefeitura de Maceió, e de Juninho do Pneu (DEM-RJ) para Nova Iguaçu (RJ) – e Danilo Forte, que já foi deputado suplente nesta legislatura, deverá assumir um cargo. O PSD ganha a vaga de Sergio Vidigal (PDT), eleito prefeito de Serra (ES). O PL pega a vaga de Margarida Salomão (PT), eleita prefeita de Juiz de Fora (MG), mas perde a cadeira de Paulo Marinho Jr., eleito vice-prefeito de Caxias (MA). Outras cinco trocas serão entre políticos do mesmo partido.

As lideranças partidárias apontam que estas posses devem ocorrer a partir de 1º de janeiro, quando os eleitos a cargos nas prefeituras irão fazer o processo de desincompatibilização dos cargos.

Confira a lista de mudanças:

– Eleito prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) dará lugar a Vivi Reis (PSOL-PA), suplente com 22.407 votos.

– Eleito prefeito de Recife, João Campos (PSB-PE) dará lugar a Milton Coelho da Silva Neto (PSB-PE), suplente com 43.649 votos.

– Eleito prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos-MA) dará lugar a Josivaldo dos Santos Melo (Podemos-MA), suplente com 23.113 votos.

– Eleito prefeito de Maceió, JHC (PSB-AL) dará lugar a Pedro Torres Brandão Vilela (PSDB-AL), suplente com 37.203 votos.

– Eleito prefeito de Nova Iguaçu (RJ), Juninho do Pneu (DEM-RJ) dará lugar a Marcos Soares (PSDB-RJ), suplente com 44.262 votos.

– Eleito prefeito de Porto Real (RJ), Alexandre Serfiótis (PSD-RJ) dará lugar a Pedro Augusto (PSD-RJ), suplente com 36.382 votos.

– Eleito prefeito de Serra (ES), Sergio Vidigal (PDT-ES) dará lugar a Neucimar Fraga (PSD-ES), suplente com 53.787 votos.

– Eleito prefeito de Maracanaú (CE), Roberto Pessoa (PSDB-CE) dará lugar a Danilo Forte (PSDB-CE), suplente com 55.910 votos.

– Eleita prefeito de Juiz de Fora (MG), Margarida Salomão (PT-MG) dará lugar a Aelton Freitas (PL-MG), suplente com 54.704 votos.

– Eleito vice-prefeito de Caxias (MA), Paulo Marinho Jr. (PL-MA), que já era primeiro suplente, dará lugar a Deoclides Macedo (PDT-MA), suplente com 39.328 votos.

– Eleito vice-prefeito de Caucaia (CE), Deuzinho Filho (Republicanos-MA) não será substituído. Deuzinho foi suplente até outubro desse ano, quando Vaidon Oliveira (Pros-CE) retomou a titularidade do cargo.

– Eleito prefeito de Campos dos Goytacazes (RJ), Wladimir Garotinho (PROS-RJ) dará lugar a Ricardo Correia de Barros (Patriota-RJ), suplente com 24.951 votos. Há o risco de esta troca não se concretizar, já que a eleição de Garotinho à prefeitura aguarda julgamento.

Tags: #Política #Eleições 2020 #Câmara dos Deputados #Políticos LGBT #Bancada do Pará


* Val-André Mutran – É correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília