Vendas de veículos crescem pelo segundo mês consecutivo, no Pará

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Mesmo com a crise econômica no país, as vendas de veículos no Pará cresceram 32,02% no mês de julho, quando comparadas com o mês anterior e cerca de 20% acima da média nacional, que foi de 7,08% para o mesmo período.

Pelo segundo mês consecutivo, continuam aquecidas as vendas de veículos no Pará, segundo o balanço de vendas de veículos novos feito pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP). De acordo com o levantamento, no mês de julho, foram vendidos 14.390 veículos, entre carros, motos, ônibus, caminhões e comerciais leves, representando aumento de 32,02%, cerca de 6,29% a mais do que o mesmo período de 2014 e 24,94% acima da média nacional, que é de 7,08% para o mesmo período.

Segundo o presidente do Sincodiv, Leonardo Pontes, o volume de vendas no mês passado é considerado muito positivo. “Mesmo com a recessão em vários setores da economia, o Pará está conseguindo superar e cresce a cada mês no ritmo de vendas, registrando junho e julho como os melhores meses de vendas deste ano”, destaca.

Números

Em julho, segundo o Sincodiv, o aumento das vendas foi generalizado, sendo o setor de ônibus responsável por 135 emplacamentos, superando em 62,65% as vendas do mês de junho. O segmento das motocicletas registrou 9.150 unidades vendidas, com crescimento de 45.89%, e o de carros e comerciais leves vendeu 4.629 veículos em julho deste ano, representando elevação de 10,87%. A única retração foi no segmento de implementos rodoviários, com queda de 21.05%.

No acumulado do ano, foram vendidos 81.792 veículos, representando queda de 8,45% em comparação com o primeiro semestre de 2014. O mês de julho contou com 23 dias úteis contra 21 dias no mês anterior, motivando este aumento nas vendas de veículos. Entre os municípios, Belém é líder de vendas de veículos em todos os setores. Ananindeua, Marabá e Altamira também figuram entre os municípios que mais venderam veículos. As marcas mais vendidas no segmento de automóveis foram Fiat, Volkswagen e General Motors.

Segundo a Fenabrave, continua a previsão de que não ocorrerá grande mudança nas vendas de veículos nos próximos meses, mantendo, assim, a projeção de queda de cerca de 20% para o setor em 2015. Algumas ações realizadas no mês de julho motivaram a comercialização de automóveis e comerciais leves. Entre as ações destacadas estiveram o Festival do Consorciado Contemplado e o Salão Auto Caixa, ambos direcionados a estimular a aquisição de veículos no país.

Confira, a seguir, mais detalhes do resultado dos emplacamentos do Pará em julho:

Automóveis e comerciais leves

No total, foram emplacadas 4.629 unidades de automóveis e comerciais leves em julho. O número representa aumento de 10,87% na comparação com junho de 2015 e recuo de 11,59% em relação a julho de 2014. Na comparação entre o acumulado deste ano com o anterior, os segmentos registraram retração de 6,72%.

Caminhões e ônibus

Segundo o Sindicato, 304 caminhões e ônibus foram emplacados em julho, número 29,36% superior ao registrado em junho. Na comparação com o mesmo mês de 2014, o número, no entanto, representou queda de 15,08%. No acumulado do semestre, as categorias apresentaram desempenho 18,31% abaixo do verificado de janeiro a julho de 2014.

Motos

O segmento de motocicletas teve um total de 9.150 unidades novas vendidas em julho, num aumento de 45,89% sobre junho de 2015. Na comparação com o mesmo período de 2014, o crescimento foi de 19,94%. De janeiro a julho, o segmento apresenta resultado de 9,31% negativos ante os primeiros seis meses de 2014.

Implementos rodoviários

Foram vendidos 60 veículos da categoria no mês. O segmento apresentou diminuição de 21,05% nas unidades emplacadas na comparação com junho de 2015 e recuo de 48,28% ante o mês de julho do ano passado. Na comparação do acumulado de janeiro a julho deste ano com o mesmo período de 2014, houve queda de 9,13%.

Publicidade

Relacionados