Vale anuncia prejuízo de R$ 3 bi

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

prejuizoA Vale (VALE5) jogou uma bomba no colo de seus acionistas nesta manhã: a companhia registrou prejuízo de R$ 3,38 bilhões no terceiro trimestre de 2014, contra lucro de R$ 3,18 bilhões no trimestre passado, refletindo principalmente o impacto não-caixa de variações cambiais e perdas monetárias em dívidas e derivativos de R$ 6,22 bilhões devido à depreciação do Real frente ao Dólar.

O resultado veio bem diferente da previsão dos analistas, que esperavam queda nos lucros, mas não prejuízo. O lucro líquido nos nove primeiros meses de 2014 somam R$ 5,71 bilhões, queda de 61,5% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar do prejuízo, a Vale apresentou um forte desempenho operacional em relação a produção de minério de ferro alcançando 85,7 Mt – o melhor desempenho da história da empresa em um trimestre – e com a produção de Carajás atingindo 32,2 Mt, um novo recorde absoluto, devido aos ramp-ups bem-sucedidos da Planta 2 e de Serra Leste.

Carajás (Parauapebas) alcançou um nível histórico de produção de 32,2 milhões de toneladas no terceiro trimestre, um aumento de 9,8% em relação ao trimestre anterior e de 7,9% na comparação com o mesmo período de 2013. O bom desempenho se deve ao início da fase de testes da Planta 2, em Carajás, e de Serra Leste, em Curionópolis. Também localizada em Carajás, a mina de manganês do Azul aumentou em 30,2% a produção em relação ao trimestre anterior, atingindo 481 mil toneladas no período.

O volume de cobre contido em concentrado produzido pela empresa no trimestre foi de 104,8 mil toneladas, superando em 29,3% o segundo trimestre deste ano e em 10,8% o terceiro trimestre do ano passado, outro marco histórico de produção. A mina do Salobo (Marabá) alcançou novo recorde para a operação, atingindo 25,9 mil toneladas com o início da fase de testes de Salobo II. Já na mina do Sossego (Canaã dos Carajás) foram produzidas 30,4 mil toneladas de cobre contido em concentrado.

Onça Puma (Ourilândia do Norte) atingiu 93% de sua capacidade nominal, produzindo 5,8 mil toneladas de níquel contido em ferroníquel, 11,3% acima do segundo trimestre.