Val-de-Cans tem alta de 52% na movimentação de cargas no 1º semestre

O Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto Internacional de Belém (PA) movimentou 780 toneladas no primeiro semestre de 2018.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O número representa um aumento de 52% em relação às mercadorias processadas no complexo logístico belenense no mesmo período do ano passado, quando foram movimentadas 511 toneladas.

O destaque foi para o segmento de importação, com 207 toneladas, provocando um crescimento de 54% em relação ao ano anterior. O segmento de exportação também apresentou um aumento considerável. No primeiro semestre de 2018, foram recebidas 573 toneladas de mercadorias destinadas à exportação, apresentado um incremento de 51% em relação ao mesmo período de 2017, quando foram recebidas 377 toneladas.

Para o superintendente do aeroporto, Fábio Rodrigues, “a crescente melhoria no segmento de logística demonstra a efetividade da política de prospecção de voos, além de evidenciar o trabalho prestado pela Infraero e todos os órgãos públicos envolvidos no tratamento da carga aérea em nosso aeroporto”.

O complexo logístico do Aeroporto de Belém conta com uma infraestrutura diversa e versátil, que opera 24 horas por dia, para o atendimento à demanda de seus clientes, que só no setor de importação inclui empresas dos segmentos de mineração, siderurgia, celulose e papel, construção naval, pesquisa científica, maquinas e equipamentos pesados e equipamentos de informática. Entre os polos atendidos pelo Teca, está o distrito industrial de Barcarena e os polos de mineração de Parauapebas, Oriximiná, Jurutí e Paragaminas. Na exportação, as principais cargas movimentadas são peixes ornamentais, bexigas de peixe e polpas de frutas, tendo como destinos principais os Estados Unidos, Europa e Ásia.

Nova gestão no Terminal de Cargas

Desde o ano passado, a Infraero conta com um novo posicionamento de mercado para o segmento de Soluções Logísticas, buscando expandir o portfólio de serviços e produtos de logística integrada oferecidos pela empresa e ampliando a parceria com a iniciativa privada nos negócios.

Integrado a essa nova estratégia, no dia 16 de junho, teve início a vigência do contrato de concessão do Terminal Logístico de Belém. A empresa vencedora do certame, Porto Seco Centro Oeste S/A, irá assumir as operações de Logística de Carga na capital paraense, com prazo de concessão de dez anos. A transição das operações será concluída em meados de setembro.

Além do Teca de Belém, também foram concedidos à iniciativa privada os complexos logísticos dos aeroportos de Goiânia (GO), Curitiba (PR), São José dos Campos (SP), Recife (PE) Vitória (ES) e Navegantes (SC). Os cinco primeiros preveem prazo de concessão de dez anos, sem investimentos vinculados por parte das empresas concessionárias. Já a concessão do Teca de Navegantes prevê prazo de 25 anos, com investimento previsto na construção de um novo Complexo Logístico na ordem de R$ 25 milhões.

Desta forma, a Infraero busca permanecer alinhada às melhores práticas de mercado, mantendo a competitividade no mercado e buscando todas as oportunidades possíveis para gerar valor, reduzir custos e garantir a máxima eficiência.