Urgente: Justiça determina suspensão imediata da greve dos servidores públicos em Canaã dos Carajás

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A greve geral dos servidores públicos municipais de Canaã dos Carajás foi suspensa no fim na tarde desta terça-feira (27), após determinação do Tribunal de Justiça do Pará. A paralisação acontecia desde a última segunda-feira (19) e envolveu servidores efetivos de várias pastas do governo municipal. Os grevistas reivindicavam do executivo um reajuste salarial de 31% referente às perdas inflacionárias dos últimos anos.

A decisão foi comunicada à imprensa durante coletiva realizada no fim da tarde. Presentes, o prefeito Jeová Andrade, o Procurador Geral do Município, Hugo Leonardo, e os secretários André Wilson, Gean Meirey, Arleides de Paula e Edilson Valadares. Vários veículos de comunicação também estiveram presentes e a coletiva foi transmitida ao vivo por uma rádio da cidade.

O Desembargador Luiz Gonzaga da Costa Neto, do Tribunal de Justiça do Pará, relator do Mandado de Segurança, determinou o fim da greve através de uma medida cautelar. De acordo com Desembargador, “a greve é possivelmente ilegal” e os servidores devem retornar ao trabalho imediatamente.

O prefeito afirmou que, apesar do documento oficial e do fim das paralisações, as negociações com os sindicatos não estão encerradas: “O TJ determinou a ilegalidade da greve, mas a mesa de negociações já existe, foi criada através de decreto, e nós vamos buscar maneiras de conceder esse reajuste. Vamos continuar sempre buscando o diálogo e queremos pedir que as categorias retornem aos seus postos de trabalho.”

Dr. Hugo Leonardo também falou aos profissionais de imprensa. O procurador fez uma pequena retrospectiva do movimento grevista e lembrou que o município entrou com a ação junto ao Tribunal de Justiça no último dia 22: “Sentimos a necessidade de levar essa demanda até o judiciário. O desembargador Luiz Gonzaga Costa Neto entendeu que a greve é ilegal e determinou o imediato retorno dos servidores ao trabalho. A partir de agora, será aplicada uma multa de R$ 3 mil por dia para quem descumprir a determinação. Os sindicatos serão notificados e uma audiência de conciliação já está marcada para o próximo dia 16 de março. Os servidores devem cumprir a decisão da justiça imediatamente.”

O prefeito Jeová Andrade e o secretário de educação André Wilson também afirmaram que o funcionalismo público estará nas escolas já pela manhã para organizarem as escolas para receber os alunos nas respectivas instituições de ensino. O gestor municipal também lembrou que a primeira reunião da mesa de negociação permanente já acontece no próximo dia 14 de março.

Em nota, o Sindicato dos servidores afirmou que a greve continua até que seja informado, através de oficial de justiça, a suspensão e que no prazo de no máximo 48 horas o jurídico entrará com recurso contra a ação.

Publicidade