Tuna derrota o Remo nos pênaltis dentro do Baenão e está na final do Parazão 2021

O zagueiro Dedé do time cruzmaltino marcou contra e a favor no tempo normal, com a Águia se garantindo nos pênaltis
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Tuna Luso está classificada para a final do Parazão (Foto: Matheus Vieira/Ascom Tuna)

Continua depois da publicidade

A Tuna Luso Brasileira está de volta a uma final de Parazão após 14 anos de longa espera. Na noite desta quarta-feira (12), a chamada Águia Guerreira conseguiu derrubar o Clube do Remo, empatando no tempo normal, em 1 a 1, e eliminando o grande favorito nos pênaltis, por 6 a 5, em pleno Estádio Evandro Almeida, o Banpará Baenão, em Belém. 

O Remo saiu da competição como o único invicto e ainda chegou a abrir o placar, quando Felipe Gedoz tocou na esquerda para Marlon, que cruzou rasteiro, o zagueiro Dedé foi cortar e mandou contra, aos 11 minutos da primeira etapa. Conhecida também como Elite do Norte, a Tuna foi em busca do empate e ele veio de bola parada: após cobrança de escanteio, o mesmo Dedé subiu de cabeça e assinalou a favor aos 38 minutos do segundo tempo, deixando tudo igual. 

A Tuna vai decidir o Parazão 2021 diante do Paysandu em dois jogos, enquanto o Remo disputará o terceiro lugar contra o Castanhal. 

O jogo: Tuna na final do Parazão!

Antes da bola rolar, foi feito um minuto de silêncio em respeito às vítimas da Covid-19 e ao ex-presidente do Clube do Remo, Manoel Ribeiro, que faleceu na última segunda-feira (10), vítima de complicações renais e cardíacas. A Tuna começou melhor e quase abriu o placar. Léo Rosa cobrou escanteio e o zagueiro Dedé cabeceou para fora. O Leão Azul respondeu com Felipe Gedoz cruzando rasteiro da esquerda para Edson Cariús, que chutou e a bola desviou na zaga, ficando com o goleiro Gabriel Bubniack.

Na segunda tentativa do Remo, a bola foi parar no fundo da meta cruzmaltina. Marlon tocou para Felipe Gedoz, que devolveu em um passe de primeira – Marlon cruzou e a bola tocou no zagueiro Dedé, indo para o gol, aos 11 minutos, 1 a 0. O time da Tuna partiu para cima do árbitro Djonaltan Costa Araújo, que teria trombado com o lateral-direito Léo Rosa e impedido a marcação correta do atleta da Águia Guerreira.

A Tuna quase empatou. Depois da cobrança de escanteio, a bola sobrou para Renan, que chutou na trave do goleiro Vinícius. Pressão tunante. Wellington Pará cruzou, Arthur cabeceou, o goleiro Vinícius defendeu e, na sobra, o atacante Fabinho mandou para fora. Após o lance, a chuva chegou mais forte no Baenão. O Leão quase ampliou quando Dioguinho recebeu de Felipe Gedoz e chutou, mas o goleiro Gabriel Bubniack defendeu em dois tempos. 

O time cruzmaltino tentou o empate depois que Lukinha tocou para Léo Rosa –  o lateral chegou batendo para a boa defesa do goleiro Vinícius. O meia Lukinha fez boa jogada individual e mandou um chute de fora da área, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. No segundo tempo, a Tuna chegou pela direita com Léo Rosa, que cruzou para a grande área, o atacante Paulo Rangel subiu com o zagueiro Fredson e caiu. A turma cruzmaltina ficou na bronca pedindo pênalti, mas o árbitro mandou seguir. 

A Águia Guerreira tentou com Arthur de fora da área, a bola bateu na zaga remista e sobrou para o atacante Paulo Rangel, mas o jogador estava no impedimento. O Leão voltou com Dioguinho, que entrou na área e chutou para o gol, mas a bola desviou na zaga e foi para escanteio. Felipe Gedoz cobrou falta da direita na medida para Fredson, que subiu para tentar cabecear e acabou não conseguindo.

O atacante Paulo Rangel, da Tuna, recebeu na direita e chutou uma bola fraca para a defesa do goleiro Vinícius. Mais uma vez, os visitantes tiveram uma boa chance pela direita, Léo Rosa cruzou para Paulo Rangel que cabeceou para fora. Um lance que gerou mais reclamações por parte dos cruzmaltinos foi quando Pedrinho recebeu na esquerda em posição legal e chutou cruzado –  a arbitragem equivocadamente marcou impedimento.

A Elite do Norte chegou ao empate. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Dedé subiu de cabeça e marcou para a Tuna, aos 38 minutos, 1 a 1. Os jogadores do Leão pediram falta no gol cruzmaltino em cima do goleiro Vinícius, que teria sido tocado pelo jogador Alexandre Pinho. No último lance do jogo, Felipe Gedoz cobrou falta e o goleiro Gabriel Bubniack defendeu. Na sobra, a bola voltou para o time remista, o arqueiro tunante salvou à queima roupa e, no rebote, Renan Oliveira marcou o gol, mas a arbitragem assinalou impedimento. Placar final: Remo 1 x 1 Tuna.

Com o empate, a decisão da vaga foi para a disputa dos pênaltis. Melhor para a Tuna Luso Brasileira, que venceu por 6 a 5 e se garantiu na grande final do Parazão. Renan, Kauê, Lukinha, Paulo Rangel, Alexandre Pinho e Lineker marcaram para a Tuna, enquanto Léo Rosa isolou. Pelo lado do Remo assinalaram Renan Gorne, Marlon, Vinícius Kiss, Felipe Gedoz e Rafael Jansen, sendo que Renan Oliveira e Erick Flores pararam no goleiro Gabriel Bubniack. 

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Wellington Silva (Thiago Ennes), Fredson, Rafael Jansen e Marlon; Anderson Uchôa, Lucas Siqueira (Vinícius Kiss) e Felipe Gedoz; Dioguinho (Renan Oliveira), Lucas Tocantins (Erick Flores) e Edson Cariús (Renan Gorne).
Técnico: Paulo Bonamigo 

TUNA: Gabriel Bubniack; Léo Rosa, Dedé, Renan e Felipe (Alexandre Pinho); Wellington Pará (Kauê), Neto (Bambelo), Arthur (Lineker) e Lukinha; Fabinho (Pedrinho) e Paulo Rangel.
Técnico: Robson Melo

  • Árbitro: Djonaltan Costa Araújo (CBF)
  • Assistente 1: José Ricardo Guimarães Coimbra (CBF)
  • Assistente 2: Rafael Bastos Cardoso (CBF)
  • Quatro árbitro: Dilvan Trindade Oliveira (FPF)
  • Cartões amarelos: Edson Cariús (Remo); Léo Rosa, Felipe e Wellington Pará (Tuna)
  • Gols: Dedé contra a favor do Remo, aos 11 minutos do 1° tempo; Dedé, de cabeça, aos 38 minutos do 2° tempo para a Tuna
  • Local: Estádio Evandro Almeida, o Banpará Baenão, em Belém 
Por Fábio Relvas
Publicidade