Traficante assassinado deixa mais de um quilo de maconha de herança a amigos

Na terça-feira a Polícia Militar encontrou a droga e uma das herdeiras e tudo foi parar na Delegacia de Polícia Civil
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em cima de um guarda-roupa a Polícia Militar de Tucuruí encontrou 1,1 quilo de maconha. A droga pertencia ao ex-presidiário Danielson Moreira Carvalho, o Dani, executado com três tiros na noite de domingo (6) no Bairro Cristo Vive. Uma mulher foi presa e um homem está foragido.

Na manhã de terça-feira (8) o comando do 13º Batalhão de Polícia Militar de Tucuruí recebeu a denúncia anônima sobre a existência do local em que funcionava um ponto de distribuição de drogas. A guarnição militar chegou ao endereço, na Rua Alto da Colina, no Bairro Colina, às 12h30. Autorizados a entrar em uma quitinete construída nos fundos do imóvel, os policiais encontraram em cima de um guarda-roupa a droga, que pesou 1.100 gramas.

Francinei Moreira Pontes, o Nei, está foragido. Segundo a companheira do suspeito, Renata Novaes, a droga pertenceria a Danielson Moreira Carvalho, que pediu a Nei para guardá-la até a noite de domingo. Nessa noite o suposto dono do entorpecente foi assassinado com três tiros de arma de fogo quando pretendia se encontrar com uma pessoa no Bairro Cristo Vive. Os militares apresentaram a mulher na 15ª Seccional Urbana de Tucuruí com o produto ilícito.

(Antonio Barroso)