Tailândia: Um dos suspeitos de matar casal e jovem morre em confronto com a PM

A refrega aconteceu na tarde desta sexta-feira (2). Segundo a PM, os policiais foram recebidos a tiros pelo acusado, que se escondia em uma propriedade rural de Tailândia, no nordeste do Pará
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
“Kaique” foi morto em confronto com policiais militares

Continua depois da publicidade

Francisco Kauan Rufino, o “Kaique”, acusado de participação na morte de um casal e uma jovem, foi morto em confronto com a Polícia Militar, na tarde desta sexta-feira (2), na Vicinal 7,  em Tailândia, no nordeste do Pará. O acusado ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Tailândia (HGT), mas faleceu antes de chegar à casa de saúde.

Segundo a Polícia Militar, a corporação recebeu a informação, através de denúncia anônima, de que o acusado estava escondido em uma propriedade na Vicinal 7. Guarnições seguiram para o local, onde foram recebidas à bala por “Kaique”. Na refrega, ele foi atingido.

No local também estavam escondidos Henrique Brito Moreira (“Ferrugem”) e Gustavo Silva da Costa, que conseguiram fugir se embrenhando em uma mata. O trio é acusado de executar Creusa Conceição e o seu companheiro, de prenome Ricardo, de forma cruel na madrugada do último domingo (27). O casal foi mutilado a golpes de faca e depois teve a casa incendiada. O corpo de Ricardo foi carbonizado. 

Além do casal, os acusados, que seriam integrantes de uma facção criminosa e exerciam o papel de executores no “tribunal do crime”, também são apontados como envolvidos na morte de Erica Silva, morta com um tiro na nunca nas proximidades de um igarapé, no mês de maio. 

No local em que se escondiam foi encontrada uma arma de fabricação caseira, com um estojo vazio, a qual foi apreendida pelos policiais e apresentada na Delegacia da Polícia Civil de Tailândia. Segundo a Polícia Militar, as diligências seguem com o objetivo de capturar os dois foragidos, considerados criminosos de alta periculosidade.

Tina DeBord