Parauapebas

Sessão polêmica: solicitação de afastamento do prefeito Valmir Mariano não entra em votação

A sessão realizada na tarde de ontem, terça-feira (22), na Câmara Municipal de Parauapebas, com a presença de todos os parlamentares, foi marcada por muita polêmica, com discussão entre vereadores …

CMPA sessão realizada na tarde de ontem, terça-feira (22), na Câmara Municipal de Parauapebas, com a presença de todos os parlamentares, foi marcada por muita polêmica, com discussão entre vereadores da base e oposição ao prefeito e também de populares que lotaram a sede do legislativo.

Na pauta oficial entregue aos vereadores constava indicações e vários requerimentos, mas alguns parlamentares não fizeram a leitura dos documentos durante a sessão depois que descobriram que a pauta referente a uma representação, protocolada por um cidadão, chamado Raimundo Pires dos Santos, que solicita o afastamento do prefeito Valmir Mariano não entraria em votação.

De acordo com a representação, a gestão do prefeito Valmir Mariano apresenta diversas irregularidades, como convênios alvos de investigações, dois deles já julgados irregulares pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM/PA), cita o denunciante no documento.

“A decisão é uma prerrogativa da presidência. O documento foi protocolado hoje e não deu tempo de analisar, pois da outra vez que entrou uma representação desse tipo ficaram dizendo que era um laranja e como chegou novamente no mesmo formato, eu quero fazer uma averiguação in loco. Se a pessoa que representou tiver idoneidade, tiver tudo certo, será votada na próxima terça-feira”, explicou o presidente da Câmara, Ivanaldo Braz.

A atitude do presidente da casa não agradou a maioria dos parlamentares, que tentaram de todas as formas mudar a decisão, dizendo que “o ato era arbitrário e autoritário”. Contrários à decisão do presidente, os vereadores Charles Borges (SD), Eliene Soares (PT), Joelma Leite (PT), Pavão (SD), Irmã Teca (PV) e Antônio Massud (PTB).

Vereador favorável ao afastamento do prefeito, Pavão afirma que a atitude do presidente foi um desrespeito com os parlamentares. “O presidente da casa obrigatoriamente deve colocar em pauta na primeira sessão, no caso hoje. O presidente tomou uma postura de total desrespeito ao parlamento”, declarou, completando que na hora de seu pronunciamento preferiu o silêncio para demonstrar toda a sua indignação contra o ato.

Um comentário em “Sessão polêmica: solicitação de afastamento do prefeito Valmir Mariano não entra em votação

  1. Marcos Vinicio Fernandes Lage Responder

    Sou amigo do Sr. Valmir Queiroz Mariano há mais de 20 anos, quando gerenciei a 1ª etapa da implantação do saneamento básico de Parauapebas e a INTEGRAL foi uma das empresas contratadas pela CVRD (atual Vale S/A). A INTEGRAL forneceu e montou equipamentos e tubulações para os sistemas de captação e distribuição de água potável nos bairros Rio Verde, da Paz, Cortinão, União, Cidade Nova e Primavera.
    Depois, entre 2000 e 2002, gerenciei a INTEGRAL em diversos empreendimentos dentro da Serra dos Carajás.
    Em 2012 voltei a Parauapebas e trabalhei como Gerente de Contrato na INTEGRAL.
    Hoje, pleiteio um cargo público na administração municipal para ajudar o Sr. Valmir a ser reeleito em 2016 e, se for da sua vontade, torná-lo o primeiro Governador mineiro do Estado do Pará, em 2020.
    Portanto, aposto “todas as minhas fichas” na honradez e dignidade deste cidadão mineiro que, em virtude dos anos de labuta nesta terra, tornou-se parcialmente parauapebense e, tenho certeza, é o nome mais capacitado profissional e intelectualmente a comandar os destinos de Parauapebas, transformando-a numa cidade modelo a nível nacional.

Deixe seu comentário