Pará

Senador Siqueira Campos propõe a criação dos estados de Tapajós e Maranhão do Sul. Carajás fica fora

Brasília – O “pai” do Tocantins, Siqueira Campos, aos 90 anos de idade, quer realizar o sonho político de ver criados os Estados do Tapajós e do Maranhão do Sul. Para isso, o agora senador pelo DEM, que assumiu a vaga como suplente há 29 dias, apresentou Projetos de Decretos Legislativos (PDLs) que dispõem sobre a realização de plebiscitos para a criação de duas novas unidades da federação brasileira por meio de desmembramento. “O estado do Carajás ficou fora, por enquanto”, disse Campos.

O primeiro PDL sugere uma consulta ao eleitorado do Pará para que em plebiscito decida pela criação ou não do estado de Tapajós. O texto indica que 23 municípios paraenses seriam os responsáveis por formar esta nova unidade da federação, entre eles está Santarém, que tem mais de 300 mil habitantes, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2018.

Dos três senadores paraenses, apenas Paulo Rocha (PT) e Zequinha Marinho (PSC) subscreveram o PDL de iniciativa de Siqueira Campos. Quem resolveu não assinar a proposta do tocantinense foi Jader Barbalho (MDB).

A reportagem não conseguiu ouvir nenhum dos três senadores paraenses sobre a proposta. Dois deles não estavam em Brasília e até o fechamento dessa edição, o senador Paulo Rocha não estava disponível para falar sobre o assunto.

O senador Siqueira Campos também propôs a criação de um Maranhão do Sul, que sairia do desmembramento de mais de 40 municípios do estado-mãe. Na lista está cidades como Imperatriz, com 254 mil habitantes; e Balsas, com população de mais 90 mil; também conforme estimativa do IBGE de 2018.

O apoio da bancada do Maranhão foi ainda menor. Os senadores Roberto Rocha (PSDB) e Weverton Rocha Marques (PDT) não apoiaram a ideia do ex-governador do Tocantins. A única parlamentar que subscreveu a proposta de Siqueira Campos foi Eliziane Gama (Cidadania).

Leia a íntegra do Projeto de Decreto Legislativo sobre Tapajós.

* Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu, em Brasília.

Deixe seu comentário