Marabá

SEMED prepara alunos para Olimpíada Brasileira de Matemática

Os alunos do Ensino Fundamental da rede municipal de Educação vão participar da primeira fase da 15ª versão da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP)

No dia 21 de maio próximo, todos os alunos do Ensino Fundamental da rede municipal de Educação vão participar da primeira fase da 15ª versão da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP), organizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

Nesta quarta-feira, dia 17, a SEMED (Secretaria Municipal de Educação) reuniu professores da referida disciplina para passar orientações, com apoio da Unifesspa (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará). A reunião aconteceu no auditório da própria Secretaria e compareceram dezenas de educadores que trabalham em mais de 100 escolas da rede.

Fábio Rogério Gomes, diretor de Ensino Urbano da SEMED, explica que em 2019 as escolas estão trabalhando com metas de aprendizagem e em todos os programas das esferas federal, estadual e municipal, a Secretaria está mobilizando educadores para que se engajem. “No caso da OBMEP, conseguimos fazer com que todas as escolas se inscrevessem. Mas além disso, conseguimos mobilizar professores de matemática e seus coordenadores pedagógicos para traçarmos estratégias para que seja realizado um trabalho específico de ensino e motivação com seus alunos”, explica ele.

Fábio observa que uma das metas é conseguir pelo menos uma medalha de ouro para Marabá na Olimpíada de Matemática deste ano. Até agora, os alunos que se destacaram receberam apenas medalha de bronze. “Precisamos colocar nossa rede numa posição mais destacada e vamos fazer da OBMEP um projeto disseminado e que seja comentado pelos educadores”.

Outro desafio é preparar os alunos aprovados na primeira para que façam a prova da segunda fase, uma vez que ela será aplicada por polo, causando certo desinteresse dos estudantes. “Os pais desconhecem a importância dessa Olimpíada e, às vezes, nem mesmo os professores demonstram tanto interesse. Vamos preparar um vídeo institucional para os pais encaminharem as crianças para a segunda fase, que é quem garante a premiação”, antecipou.

A professora Elizabeth Rego Sabino, coordenadora Regional da OBMEP PA-02, observa que Marabá tem mais de 100 escolas inscritas na competição de matemática, mas que a Secretaria de Educação sentiu que é necessário preparar melhor os estudantes para participarem da prova e alcançarem resultados mais expressivos que em anos anteriores.

Ela elogia o compromisso da própria SEMED, que busca mobilizar os professores da disciplina de matemática da rede para instrumentalizarem seus alunos a participarem da OBMEP. “Com essa formação, queremos alcançar maior engajamento dos educadores e estimularmos para que preparem seus alunos para esse desafio, que entrega medalhas de ouro, prata e bronze para os participantes que se destacarem”, enfatiza.

Com isso, os estudantes de destaque podem participar do PIC (Programa de Iniciação Científica da OBMEP), que funciona aos sábados, na Unifesspa, onde passam a estudar matemática de forma mais sistemática e profunda. Além disso, pode concorrer a um edital específico da USP (Universidade de São Paulo). Também podem concorrer à Bolsa Teen, a qual estimula os estudantes com um valor de R$ 1.400,00 por mês durante toda a graduação. “Inclusive, um aluno de Jacundá foi contemplado com uma bolsa dessa categoria recentemente”, exemplifica.

SAIBA MAIS

Criada pelo IMPA em 2005, a OBMEP é promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC).

A competição contribui para estimular o estudo da Matemática no Brasil, identificar jovens talentosos e promover a inclusão social pela difusão do conhecimento. Estudos independentes já revelaram o impacto efetivo da olimpíada nos resultados de Matemática. Escolas que participaram ativamente da competição, aponta trabalho do ex-presidente do INEP Chico Soares, apresentam melhora no desempenho dos alunos de 26 pontos na Prova Brasil, o equivalente a 1,5 ano de escolaridade extra.

Deixe seu comentário