Notícias

Secretaria de Obras de Parauapebas “mete ficha” em recuperação de vias urbanas

Duas frentes de trabalho devem começar em breve nos bairros Casas Populares 1 e Cidade Jardim, vão beneficiar 600 moradores e abrir até 100 empregos formais na construção civil.

As ruas Domingos Cardoso e Cristóvão Colombo, no complexo Casas Populares 1, zona urbana de Parauapebas, vão receber um tapa no visual da Secretaria Municipal de Obras (Semob) para garantir comodidade e fluidez no trânsito para as centenas de pessoas que por elas circulam diariamente. Cerca de um quilômetro e meio de vias vai ser totalmente recuperado.

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que folheou o edital de licitação 3/2019-009, da Semob, cujo processo foi aberto no dia 15 de março, mas só no dia 9 do mês que vem serão conhecidas as propostas das empresas interessadas em tocar o serviço, para o qual, aliás, a Prefeitura de Parauapebas estima gastar até R$ 3.460.302,26.

De acordo com o secretário municipal de Obras, Wanterlor Bandeira, as ruas Domingos Cardoso e Cristóvão Colombo vão passar por “requalificação urbana”, a fim de permitir mobilidade gradativamente e levar qualidade de vida aos cerca de 150 moradores dessas vias. “A população será afetada de maneira positiva pelos serviços que vamos realizar no perímetro, que é vizinho do Residencial Alto Bonito”, informou o titular da Semob.

Cidade Jardim

A dois quilômetros dali, a Semob também vai iniciar uma grande frente de obras para drenar e revitalizar a quarta etapa do loteamento Cidade Jardim. Por meio de outra licitação, a 3/2019-007, a pasta está disponibilizando R$ 4.161.572,57 às empresas interessadas em pegar o pacote de serviços. Na quinta-feira da semana que vem, dia 22, as propostas serão conhecidas e ganha a empresa que oferecer o menor preço pelo empreendimento.

No Bairro Cidade Jardim, segundo Wanterlor Bandeira, cerca de 2,8 quilômetros de ruas serão alvo de restauração de pavimento e drenagem, a saber: avenidas M, N1 e N2, ruas M7, M8, M9, M10, M11, M12, M13, M14 e M15. “A maior parte dessas vias encontra-se em grau avançado de deterioração, principalmente porque o sistema de drenagem existente está com capacidade comprometida dado o acúmulo de materiais carreados para dentro do sistema”, explica o secretário, adicionando que, por tabela, esse processo gera desgaste prematuro do revestimento asfáltico.

Wanterlor acredita que os serviços vão beneficiar cerca de 500 habitantes. “A obra vai trazer qualidade de vida à população, sobretudo no período do inverno, quando os problemas com drenagem e asfalto aumentam”, contextualizam. As duas obras vão abrir cerca de 100 postos de trabalho com carteira assinada na construção civil no decorrer da vigência dos contratos (12 meses para a obra do Casas Populares 1 e oito meses para a do Cidade Jardim).

Deixe seu comentário