Reunião do conselho técnico do Parazão definiu que o estadual vai voltar a ser disputado

O encontro ocorreu entre FPF e clubes e não houve unanimidade para mudança de regulamento
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O conselho técnico por videoconferência realizado na tarde desta sexta-feira (17/04) entre a Federação Paraense de Futebol (FPF) e os representantes dos clubes que participam do Parazão 2020, terminou sem unanimidade para um acordo e a competição vai seguir sem alterações e voltar a ser disputada de onde parou. A FPF não alterou o regulamento e deixou para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definir as datas para o retorno dos jogos do Campeonato Paraense, que deverão ocorrer no mês de dezembro.

Algumas propostas foram colocadas em discussão pela FPF, como o retorno do Parazão com datas sendo definidas pela CBF com o mínimo de 20 e máximo de 30 dias de antecedência. A ideia é ter um período de 15 dias para os clubes treinarem e abrindo um novo período para inscrições de atletas. Foi colocada a possibilidade de não haver rebaixamento e que o campeonato de 2021 tenha a participação de 12 clubes e sobre a premiação desse ano, divisão por igual a meritocracia da Funtelpa, 50 mil reais para cada agremiação e a meritocracia do Banpará com 120 mil reais para o clube campeão.

Como os clubes não entraram em consenso com as propostas, e sem unanimidade entre os participantes, a FPF acabou definindo os rumos da competição estadual, que está paralisada desde o dia 19 de março, devido a pandemia do novo coronavírus. O regulamento vai permanecer o mesmo e o campeonato vai seguir como parou, com rebaixamento para os dois últimos colocados e os quatro primeiros avançando para as semifinais do Parazão e conquistando vagas para competições nacionais, como Campeonato Brasileiro da Série D e Copa do Brasil.

Pelos termos que foram colocados pela FPF, o Paysandu Sport Club saiu contrariado do encontro por videoconferência. O presidente bicolor, Ricardo Gluck Paul, era a favor do encerramento do Parazão e o título ficando com o Papão da Curuzu, já que atualmente, lidera a competição com 19 pontos. Alguns clubes até concordaram com o mandatário alviceleste, que havia feito a mesma proposta na primeira reunião, acrescentando que o Paysandu era a favor de não ter rebaixamento e divisão por igualdade da premiação entre os participantes, mas dois clubes foram contra a sugestão: Remo e Bragantino.

Antes da FPF confirmar o retorno do Parazão para dezembro sem mudança de regulamento, outras propostas surgiram pelo caminho, como a criação de um quadrangular final entre os quatro primeiros: Paysandu, Remo, Castanhal e Paragominas, para definir os dois finalistas da competição, ou até mesmo dois clássicos entre Remo e Paysandu como a decisão do Campeonato Paraense, já que ambas as equipes estavam nas primeiras colocações antes da bola parar de rolar. A proposta foi sugerida pelo Castanhal. O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, não quis se pronunciar sobre a reunião. Já o presidente do Clube do Remo, Fábio Bentes, comentou sobre a decisão da Federação Paraense.

“Terminado o congresso técnico do Campeonato Paraense 2020. Ficou definido que assim que a CBF disponibilizar datas para a realização de jogos dos estaduais, nós iremos terminar o nosso Campeonato Paraense. É bom que se diga que será mantido o mesmo regulamento de hora aprovado, com as mesmas regras, com rebaixamento, com os quatro classificando para a semifinal, se enfrentando em jogos de ida e volta, e depois uma final em dois jogos. E isso tudo vai levar o campeonato a ser definido dentro das quatro linhas, dentro do campo. Sem dúvida nenhuma, isso é uma vitória do bom senso. É bom que se diga que o Clube do Remo desde o começo foi a favor dessa proposta e eu entendo que assim que for possível, nós teremos a volta dos jogos e a definição dentro das quatro linhas”, afirmou Fábio Bentes.

Por Fábio Relvas

Publicidade