Respiradores chineses comprados pelo governo do Pará apresentam problemas

Foram comprados 400 aparelhos ao custo de R$126 mil cada. Em nota, governo diz que Estado não ficará no prejuízo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Assessoria de Comunicação do Governo do Pará emitiu nota esclarecendo sobre os aparelhos respiradores adquiridos pelo Estado da China. Foram comprados 400 respiradores, todavia, apenas 152 foram entregues até o momento. Estes apresentaram problemas técnicos e não puderam ser usados, apesar do Estado estar com as UTIs lotadas. Os aparelhos seriam usados em novas UTIs abertas pelo Estado para combater a Covid-19. Segue a nota:

O Governo do Pará informa que vem sofrendo problemas técnicos na implantação dos respiradores comprados na China, que chegaram na última segunda ao nosso Estado e ainda não puderam ser usados.

São as mesmas dificuldades que estão sendo enfrentadas por outros compradores, como grandes corporações privadas. Conjuntamente, estamos em contato direto com os fabricantes, que prometem saná-los em caráter de urgência.

Os fabricantes assumiram o compromisso com os compradores brasileiros de resolver os problemas e fazer as adequações dos equipamentos aos parâmetros nacionais.

O Governo do Pará esclarece que pagou um dos melhores preços entre os compradores, e aguarda a solução destes entraves. Mas ressalva que, em hipótese alguma, o erário público será prejudicado. Se as máquinas não cumprirem sua missão, serão devolvidas.
Estamos vivendo uma situação dramática e lamentamos tudo isso. Reafirmamos que estamos lutando dia e noite, com todas as possibilidades que temos, para salvar vidas.

Publicidade