Redenção vai bancar velórios por até R$ 618 mil

Em 2019, segundo o IBGE, 456 pessoas perderam a vida no município. Prefeitura local diz que vai garantir os funerais apenas para pessoas carentes e em situação de vulnerabilidade social.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social do governo de Carlo Iavé está contratando uma empresa interessada em oferecer serviços fúnebres em Redenção. A prefeitura local está disposta a gastar até R$ 618,5 mil em funerais completos, que contemplem, em alguns casos, embalsamento e translado, além de flores, roupas, caixões e velas pretas. Ontem (6) ficou de ser anunciada a funerária vencedora do pregão fúnebre, mas a comunicação ainda não foi feita ao Tribunal de Contas dos Municípios. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu e podem ser conferidas aqui.

De acordo com a Prefeitura de Redenção, a medida vai atender famílias carentes e em situação de vulnerabilidade social, que não tenham condição de arcar com funeral de seus entes queridos. E por se tratar de questão de saúde pública, a administração local tomou a iniciativa de garantir a assistência a um serviço essencial às expensas dos recursos do tesouro municipal.

Município com 85 mil habitantes, Redenção viu morrer no ano passado 456 habitantes, de acordo com a pesquisa preliminar de registro civil do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o 12º lugar do estado onde mais morrem cidadãos, à frente de município bem mais populosos, como Paragominas (419), Barcarena (402), Marituba (332) e Tucuruí (325).  Embora seja um evento muito triste e não desejado, os óbitos alimentam um mercado de negócios que movimenta quase R$ 1 milhão por ano apenas em Redenção.

Publicidade