Rede Mater Dei compra o grupo hospitalar Porto Dias e mantém o projeto de construir uma unidade em Parauapebas

A rede está pagando R$ 800 milhões em dinheiro por 70% do Hospital Porto Dias, além de dar 7% da Mater Dei, que hoje vale R$ 5,8 bilhões na Bolsa, à família Porto Dias
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Rede Mater Dei acaba de comprar o Hospital Porto Dias, o maior grupo hospitalar do norte do país, num movimento estratégico bilionário que marca a primeira aquisição da companhia mineira depois de seu IPO.

A rede está pagando R$ 800 milhões em dinheiro por 70% do Hospital Porto Dias, além de dar 7% da Mater Dei, que hoje vale R$ 5,8 bilhões na Bolsa, à família Porto Dias. Para efeito da transação, o vendedor avaliou a ação da Mater Dei em R$ 22, comparado a um preço de tela de R$ 16,30 nesta terça-feira (6).

Com sede em Belém, o grupo Porto Dias é formado por dois hospitais com um total de 592 leitos – um deles, o Porto Quality, começa a operar até o fim do ano. Uma expansão de mais de 60 leitos no Hospital Porto Dias, onde o grupo começou, deve entrar em operação no final de 2022. O grupo tem ainda duas clínicas de exames de imagem e uma distribuidora de materiais e medicamentos.

O acordo prevê direitos de compra e venda dos 30% restantes daqui a cinco anos, a um desconto de 20% do múltiplo que a Mater Dei estiver negociando na época. A família Porto Dias continuará à frente da gestão do hospital e ganhará um assento no conselho da rede.

A transação marca a entrada da Mater Dei numa região onde nem Dasa nem Rede D’Or tem ativos significativos – e tira a Mater Dei de uma posição defensiva para a de consolidadora do mercado mais quente dos últimos anos. O número de leitos do Mater Dei praticamente dobra – com 624, hoje – e aumenta seus lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização consolidados em mais de 50% em 2022, incluindo as sinergias do negócio.

O desembolso de caixa ainda deixa o CEO Henrique Salvador com R$ 500 milhões dos R$ 1,3 bilhão levantados na oferta pública inicial, além de ampla capacidade de alavancagem.

O Banco Santander assessorou a família Porto Dias, que recebeu aconselhamento jurídico do Stocche Forbes. Inspire Capital assessorou a Mater Dei, que trabalhou com Spinelli Advogados na parte societária e Azevedo Sette na diligência do ativo.

Projeto Parauapebas permanece de pé

Diante da notícia, o Blog do Zé Dudu procurou, na noite desta terça-feira (6), o ortopedista Antônio Carlos Dias, agora ex-dono do Hospital Porto Dias, sobre o projeto da construção de uma unidade hospitalar do grupo em Parauapebas, conforme noticiado na última semana de fevereiro deste ano.

Ele disse que o projeto continua de pé e adiantou que a construção de um Hospital Porto Dias na cidade agora é uma prioridade da Rede Mater Dei. O médico acredita, inclusive, que agora a unidade de Parauapebas pode até sair mais rapidamente, porque o Mater Dei tem uma relação muito estreita com a Vale, que é o maior cliente do grupo em Belo Horizonte (MG).

O projeto de Parauapebas prevê uma unidade de Alta Complexidade, com 150 leitos, sendo 30 em Unidades de Terapia Intensiva e acesso por Heliponto. Um hospital completo, adulto e pediátrico, com todos os recursos necessários para oferecer medicina de ponta à população.

O hospital empregará nada menos que mil profissionais, contando médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, entre outros da área de saúde, assim como pessoal de apoio. (Fonte: Brazil Journal)