Pará

PT apresenta seu Plano de Governo com foco nas regiões separatistas

O principal diferencial do Programa de Governo da “Coligação Lula Livre” (PT e PCdoB) em relação aos adversários prevê uma administração descentralizada com subsedes do futuro governo em Marabá e Santarém, promovendo uma iniciativa de resgate histórico ao abondo administrativo ao qual as Regiões Oeste e Sul/Sudeste, as duas mais dinâmicas do Estado, estão relegadas por sucessivos governos no plano estadual.

O senador Paulo Rocha (PT-PA), candidato ao Governo do Pará, posicionado em 2º lugar nas intenções de votos de acordo com as últimas pesquisas registradas no TRE/PA, em visita à Região Sul/Sudeste (Carajás) explicou que dentre as propostas na disputa para chegar ao Palácio dos Despachos, a coligação sob sua liderança é a única que centra suas ações em dois Eixos fundamentais: a Gestão Administrativa descentralizada e a mudança do modelo econômico como força matriz do desenvolvimento do Pará. “Vamos descentralizar o governo, para que chegue às regiões historicamente desprezadas. Vamos criar pelo menos duas subsedes do governo, uma em Marabá e outra em Santarém”.

Outra medida é a mudança do modelo econômico. “Precisamos migrar o modo atual, que é primário e exportador para o modelo inclusivo de valorização da agricultura familiar e verticalização da produção mineral, madeireira, etc. Precisamos transformar Marabá em uma cidade industrial”, disse o candidato do PT.

O candidato garantiu que Lula, eleito presidente, e Paulo governador, será retomado o projeto de instalação da siderúrgica, um dos mais importantes empreendimentos para o desenvolvimento da região de Carajás.

A comitiva do PT/PCdoB fez uma homenagem ao líder Geraldo José da Silva, assassinado em 2008, na região. Geraldo era presidente do STTR de Nova Ipixuna. A filha do homenageado, Caroline Cunha, explicou emocionada que a mãe dela, Luciene Cunha, precisou deixar a luta por justiça social no campo para poder criar os filhos.

Além de reuniões, comícios e encontros com lideranças, a caravana visitou a sede do INSS, do Ibama, da Unifesspa e o residencial Jardim do Éden, que conta 960 moradias do projeto Minha Casa, Minha Vida. À tarde, os candidatos tiveram ainda reunião com dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Marabá.

Os candidatos Zé Geraldo, senador, Airton Faleiro, deputado estadual, e Miriquinho Batista, deputado federal, além de Marta Costa, também candidata a deputada federal, iniciaram a caravana pelo sul e sudeste na quarta-feira, 22 de agosto de 2018, e encerraram as atividades políticas na região no domingo, 26, quando receberam as reivindicações de lideranças políticas, comunitárias e sociais.

Foram reuniões, plenárias, caminhadas, carreatas e visitas às obras deixadas por Lula, Dilma e Ana Júlia, ex-governadora, que, agora como candidata a deputada federal pelo PCdoB, participou da carreata, comício e visita ao Minha Casa Minha Vida, em Marabá. O PCdoB está coligado com o PT.

O candidato a deputado estadual pelo PT, Torket Xikrin, da aldeia Cateté, localizada em Parauapebas, participou da primeira atividade no Sudeste, uma reunião com professores e coordenadores dos cursos de graduação e pós-graduação da Unifesspa, UEPA e IFPA, e lideranças do movimento estudantil, realizada em Marabá, na tarde da quarta-feira, 22.

O Programa de Governo da Coligação socialista foi batizado de “Pra Viver em Paz” que, tem além de Paulo Rocha, ao governo tem como vice na chapa a ex-Deputada Sandra Batista.

Segurança Pública
O Programa destaca, ainda, a urgência com o rompimento do clima de insegurança que impera no Brasil e particularmente no Pará;  Insegurança no mercado de trabalho, com aumento do desemprego e a precarização das relações trabalhistas; insegurança na área da saúde, onde não há garantia de atendimento médico, realização de exames e cirurgias; insegurança no campo, com o aumento do número de agricultores sem perspectiva de terra para produzir; e insegurança na vida do cidadão comum, que vive preso e tem medo de sair de casa, por conta do aumento das chacinas e de ações de milícias.

Segundo o diagnóstico do Plano de Governo, para enfrentar essas e outras formas de violência só temos um caminho: políticas públicas de inclusão social, de geração de emprego, de descentralização dos serviços de saúde; regularização fundiária e terra para quem precisa trabalhar; e investimento em inteligência e aumento da presença das forças de segurança. É isso que desejamos: despertar a esperança do povo paraense “Pra Viver em Paz!” O documento enumera os Tópicos principais por Área de atuação. Tais como:

PACTO POR QUEM MAIS PRECISA: geração de emprego e renda no campo e na cidade.

REDE DE PROTEÇÃO SOCIAL: ampliação e qualificação da rede de bens e serviços de saúde, educação e assistência.

PARÁ MAIS HUMANO E JUSTO: promoção da igualdade de gênero, étnico racial, de crianças e adolescentes, jovens, idosos, pessoas com deficiência e pessoas LGTBT.

SEGURANÇA PÚBLICA: promoção da paz e proteção à vida.

NOVO MODELO DE DESENVOLVIMENTO: democrático, inclusivo, sustentável e inovador.

SANEAMENTO, INFRAESTRUTURA E CONTROLE SOCIAL – Enfrentar, em articulação com os municípios, os enormes desafios da infraestrutura urbana com destaque para transparência, controle e participação popular.

Por Val-André Mutran – correspondente do Blog em Brasília.

Deixe seu comentário