Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Promotoria da Infância promove curso de capacitação em acolhimento familiar

Com nova lei municipal, quatro famílias já se cadastraram em Marabá para receber crianças em situação de vulnerabilidade social

O Ministério Público Estadual acaba de promover, em Marabá, o curso de capacitação em Acolhimento Familiar para a Rede Socioassistencial do município. A formação contou com apoio do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Conselhos Tutelares, pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e Equipes Técnicas do Espaço de acolhimento Provisório Institucional (EAP), Espaço de Acolhimento Provisório e Institucional Alyrio Cavlieri e Família Acolhedora, bem como o Ministério Público e a equipe interdisciplinar da 4ª Vara Cível de Marabá.

O curso foi ministrado pela assistente social Janete Aparecida Giorgetti Valente, fundadora do Serviço de Acolhimento e Proteção Especial à Criança e ao Adolescente (Sapeca) em Campinas (SP). Na oportunidade, ela palestrou sobre os principais aspectos a serem abordados no Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora no município de Marabá e apontou aspectos teóricos e práticos a serem desenvolvidos.

Para a assistente social, “o serviço de Acolhimento Familiar em crianças de 0 a 3 anos reduz muito as consequências de baixo desenvolvimento mental e intelectual das crianças, em comparação às que foram recebidas em acolhimentos institucionais”, destacou.

Durante o curso, houve troca de experiências entre os participantes, bem como foram solucionadas diversas dúvidas no que tange à especificidade do tema. Jane Valente também destacou o modo de funcionamento e organização dos serviços de Acolhimento no município de Campinas e ressaltou a importância do município em realizar cursos de capacitação das equipes da rede socioassistencial, principalmente no tocante à família acolhedora, parabenizando a criação da Lei Municipal nº 17.809/2017.

Veja também:  Com prisão decretada, ex-prefeito de Tucuruí está foragido

Sobre o assunto, importante destacar que o Serviço passou a vigorar no município de Marabá a partir do dia 21 novembro de 2017, após sanção da Lei nº 17.809, que teve origem a partir de reuniões da promotora de Justiça Ligia Valente Ferreira, titular do 10º cargo de Oromotoria de Marabá, com o apoio da Secretaria de Assistência Social, Procuradoria Municipal, Controladoria Geral do Município (COGEN), Coordenação do Espaço de Acolhimento Provisório e o Titular da 4ª Vara Cível e Empresarial.

Atualmente, o serviço conta com uma equipe, sendo um psicólogo e uma assistente social e se encontra com quatro famílias cadastradas, aptas a receber em seus lares, crianças ou adolescentes em situação de risco ou vulnerabilidade com característica de breve retorno a sua família de origem.

A promotora de Justiça ressalta que o serviço de acolhimento familiar foi previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente em 2009. No entanto, no Pará, só há dois municípios que oferecem o serviço. Destacou ainda que acolhimento familiar é prioritário em relação ao institucional, principalmente pela redução dos traumas e por assegurar às crianças e adolescente o direito à convivência familiar e comunitária.

Interessados em se inscrever no serviço de acolhimento familiar deverão acessar o site www.familiaacolhedora.maraba.pa.gov.br ou comparecer à sede da Secretaria de Assistência Social do Município.

Deixe uma resposta